Alemanha
Greve na função pública à vista

Os representantes patronais alemães recusaram um aumento dos salários da função pública em três por cento para os próximos 18 meses, numa reunião realizada na noite de domingo. Em resposta, a central sindical Ver.di adiantou que poderá convocar uma greve no sector se as negociações voltarem a fracassar.

Os nove representantes do Estado federal, dos Estados regionais e das comunas rejeitaram uma proposta que previa um aumento de 2,4 por cento em Janeiro e um segundo aumento de 0,6 por cento em Janeiro do próximo ano. Esta proposta foi apresentada pela comissão de conciliação sobre os aumentos salariais para a função pública, a funcionar desde 28 de Dezembro.

Os representantes patronais contrapõe uma actualização de 2,1 por cento, em duas fases de 0,9 e 1,2 por cento, argumentando com o défice público. Os sindicatos – que representam os cerca de 3 milhões de funcionários públicos alemães – tinham aprovado a proposta apresentada pela comissão.

Estava marcada para ontem uma nova reunião entre os representantes da central sindical Ver.di e os delegados dos Estados e das comunas, em Potsdam. Os jornalistas alemães garantem que a paralisação, a realizar-se, terá adesões elevadas.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: