OGMA
Falta uma boa gestão

A célula do PCP nas OGMA estão contra qualquer propósito manifestado nos últimos tempos por alguns lobbies, com a conivência do Governo, de segmentar ou criar novas empresas a partir das partes rentáveis desta empresa e da TAP, como, por exemplo, a «apregoada empresa única de manutenção aeronáutica».

O contrato celebrado entre as OGMA e a TAP para a manutenção dos Airbus não pode servir de pretexto para concretizar aquelas intenções, dizem os comunistas que, em comunicado, alertam os trabalhadores para as consequências da eventual segmentação daquelas duas empresas públicas - perda de direitos e regalias e redução dos postos de trabalho.

O que é necessário é manter as OGMA e a TAP enquanto empresas públicas, «aproveitando todas as suas potencialidades», defende a célula do PCP, que responsabiliza, ainda, o Governo pela defesa da empresa, que é viável, necessitando apenas «de investimentos, nomeadamente público, e de uma boa gestão».

«Com o aumento salarial do último ano os trabalhadores sofreram uma significativa perda do poder de compra», denunciam, também, os comunistas das OGMA que, alertando para o facto de este ano a administração estar a preparar-se para não aumentar os salários ou fazê-lo com valores abaixo da inflação, consideram igualmente «inadmissível» a manutenção da suspensão do Regulamento de Carreiras, que priva todos os que trabalham naquela casa de uma perspectiva de futuro profissional.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: