«Bush fascista, és um terrorista» foi uma das palavras de ordem mais aclamadas pela população de Almada
«Paz sim, guerra não!»
A «Plaforma Almada pela Paz» realizou uma iniciativa contra a guerra no Iraque. As crianças também participaram no protesto e, através dos seus desenhos, repudiaram a agressão anglo-americana.
«Eu acho que a guerra é um absurdo porque o que os americanos querem é o petróleo», «a paz tem que ser respeitada», «o Saddam é um ditador, o Bush é um ganancioso» ou «as crianças também têm opinião», foram algumas das frases pintadas, com as mais diversas cores, por centenas de crianças que, ao longo da tarde, acompanhadas pelos pais e professores, se deslocaram, sexta-feira, à Praça São João Baptista, em Almada, para expressarem aquilo que pensam sobre esta guerra sanguinária.

A «Plataforma Almada pela Paz», que acolhe comissões de trabalhadores e sindicais, colectividades, grupos culturais e autarquias, entre outras estruturas, realizou, entretanto, e já no final da tarde, um desfile, pelas ruas de Almada, para demonstrar a indignação e repúdio do povo português face à agressão anglo-americana.

A esta iniciativa juntaram-se outras tantas centenas de pessoas, que empunhavam bandeiras brancas, exigindo o fim da guerra. «Paz sim, guerra não», «Bush fascista, és um terrorista» foram algumas das palavras de ordem aclamadas pelos manifestantes.

No final do dia, ocorreram ainda momentos musicais e de poesia, assim como um Tribunal de Opinião, onde se condenou, para além da atitude submissa do Governo português, a política de terror que a administração Bush está a levar a cabo, um pouco por todo o mundo. Foi ainda aprovada, por unanimidade, uma moção contra a agressão anglo-americana, que viola a Carta das Nações Unidas e é realizada à margem e contra o direito internacional.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: