Dívidas aos Bombeiros do Barreiro
Os Bombeiros Voluntários do Barreiro, que desde 1988 asseguram no concelho o Serviço Nacional da Emergência Médica «112», por acordo com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), viram-se forçados a rescindir o protocolo existente, já a partir do próximo sábado, dia 19.
Na base desta posição está o incumprimento por parte do INEM das sua obrigações financeiras para com aquela associação de bombeiros, pelos serviços por esta prestados no quadro do acordo de cooperação assinado pelas duas partes.
Ora sucede que as dificuldades financeiras motivadas por esta situação têm vindo a aumentar – sem que o INEM dê qualquer resposta às tentativas de resolução do problema –, atingindo, actualmente, pela prestação daquele serviço, um saldo negativo de cerca de quatro mil euros por mês, valor considerado incomportável para uma associação de bombeiros voluntários.
Foi esta razão, aliás, como salientam a propósito deste assunto os deputados comunistas Vicente Merendas e Bruno Dias em requerimento dirigido ao Governo, que levou os Bombeiros Voluntários do Barreiros a denunciarem o acordo, por manifesta incapacidade de suportarem um tal défice, que, a prolongar-se, levaria à sua própria insolvência.
Aguardada com expectativa é a possibilidade de o INEM regularizar antes do fim do prazo de vigência do acordo a sua dívida para com os Bombeiros. Nesse sentido vai o requerimento dos deputados comunistas onde estes inquirem se vai ou não aquela entidade cumprir as suas obrigações.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: