Jornalistas na «prateleira»

O Sindicato dos Jornalistas decidiu enviar, na passada sexta-feira, uma carta aos deputados da Subcomissão dos Direitos Fundamentais e Comunicação Social, da Assembleia da República, juntamente à qual seguiu um abaixo assinado subscrito por cerca de 430 profissionais de diversas redacções, para que tomem medidas urgentes em relação à situação vivida pelos quatro jornalistas do «24 Horas», que desde Dezembro último se encontram isolados dos restantes companheiros de redacção.
Segundo a nota enviada pelo Sindicato, os quatro jornalistas do referido diário, que pertence ao grupo empresarial da Lusomundo Média, estão sujeitos a uma «forma de assédio psicológico, visando pressioná-los pelo isolamento e desgastá-los pelo silêncio, para que aceitem a rescisão dos respectivos contratos», tendo inclusivamente sido transferidos para as antigas instalações do «Jornal de Notícias», ocupadas por «pilhas de caixotes, onde nem sequer possuem espaço suficiente para sentar-se».
Apesar das diligências já anteriormente feitas pelo SJ e pela Inspecção Geral do Trabalho, a situação continua a agravar-se, constituindo «uma ofensa grave a direitos fundamentais» e «uma afronta à dignidade dos jornalistas, cujo prestígio vem sofrendo uma insuportável erosão».


Cannes estreou «Vai e Vem»

A 56.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes estreou, sexta-feira, a derradeira obra do cineasta João César Monteiro, falecido em Fevereiro último.
Apesar de estar fora do circuito de competição à prestigiada «Palma de Ouro», a longa-metragem «Vai e Vem», com uma duração de cerca de três horas, fez parte da selecção oficial do festival, tendo sido apresentada na principal sala de cinema do certame em homenagem ao realizador português.
Para além de João César Monteiro, outros dois realizadores nacionais exibiram as suas fitas em Cannes. João Botelho com a sátira cómica «A Mulher que Acreditava ser Presidente dos Estados Unidos da América» e José Álvaro Morais com o filme «Quaresma».
O júri do festival avaliará 20 das 52 longas-metragens a exibir até ao próximo domingo, em cujo encerramento está prevista a exibição de uma versão restaurada de «Tempos Modernos« de Charles Chaplin.
Assinala-se também o 10.º aniversário da morte de Federico Fellini, fazendo passar uma retrospectiva integral das suas obras.


A Saúde em debate mundial

Teve início, na passada segunda-feira, em Genebra, a 56.ª Assembleia Mundial de Saúde, contando com a participação dos 192 membros da Organização Mundial de Saúde.
A iniciativa, que decorrerá entre os dias 19 e 28 de Maio, tem como principal tema a discussão de um tratado internacional de luta contra o tabagismo, doença que, segundo estimativas da organização, mata todos os anos cerca de 4,5 milhões de pessoas em todo o mundo.
Os trabalhos de discussão e elaboração da convenção antitabágica agora proposta, arrancaram há três meses, e mereceram desde o início reservas de conteúdo por parte dos Estados Unidos da América, cuja diplomacia procurou influenciar diversos países para que adoptassem a mesma postura, procurando chegar a uma solução textual que traduzisse posições mais «brandas» em relação à matéria.
O encontro irá ainda abordar temas como a pneumonia atípica, a situação epidémica no Iraque e a saúde mental, tendo já sido divulgados dados que apontam para que um em cada quatro europeus sofre de algum tipo de distúrbio relacionado com o foro neuro-psicológico.


Museus de Luto contra a barbárie

O Conselho Internacional dos Museus lançou um manifesto de condenação e repúdio contra as recentes pilhagens ao Museu Nacional de Bagdad, ocorridas durante a invasão do território por tropas americanas e britânicas.
O documento, disponível on-line, foi uma das formas de protesto encontradas para assinalar o Dia Internacional dos Museus, tendo os museus de todo o mundo decretado luto pela destruição do património histórico depauperado.
Durante a guerra no Iraque foram roubadas milhares de peças museológicas raras, entre as quais as placas de pedra, com mais de cinco mil anos, que continham gravadas as primeiras palavras de que há registo conhecido.
Para além destas peças, foram sonegados vestígios em marfim, cerâmica, metais preciosos e manuscritos pertencentes ao espólio das antigas culturas mesopotâmicas.


Livro de Bento Gonçalves

Decorreu, na passada terça-feira, dia 13 de Maio, em Coimbra, o lançamento do livro «Inéditos e Testemunhos» de Bento Gonçalves, organizado por Alberto Vilaça e editado pela Avante!.
A iniciativa, na qual participaram cerca de meia centena de pessoas, realizou-se na Casa da Cultura, e para além do responsável pela organização da obra, contou com a presença de João Arsénio Nunes, que tratou de fazer a apresentação do livro.


Resumo da Semana