Um comício maior
Um comício não é só gente a falar, não são apenas as palavras dos discursos. Muito menos na Festa do Avante!, com uma multidão a sublinhar o que é dito, a responder do terreno à palavra de dirigentes. Não é apenas um vasto palco onde tomam lugar os numerosos convidados estrangeiros mas também os membros da Comissão Executiva da Festa, a Direcção Nacional da Juventude Comunista Portuguesa, os membros do Comité Central do Partido e dos seus organismos executivos, o Secretário-geral. É um imenso diálogo de palavras esperadas e de palavras novas, donde se sai com uma nova vontade para as lutas que aí estão.

É sempre assim. Mas é sempre diferente.

Não se pode comparar o comício deste ano, por exemplo, com o do ano passado, com a chuva a desabar sobre a Atalaia e muitos milhares de pessoas a não caber no auditório 1.º de Maio, alastrando, terreno acima, a escutar o comício. E, se nos lembrarmos de há dois anos, reparamos agora que desta vez o terreno foi pouco para os muitos milhares que convergiram para a frente do Palco 25 de Abril.

Tomaram a palavra os camaradas Ana Lourido, da Comissão Política da Direcção Nacional da JCP; José Casanova, da Comissão Política do CC do PCP e Director do Avante!; e, por fim, Carlos Carvalhas, Secretário-geral do Partido. Durante cerca de uma hora, numa atmosfera vibrante, os discursos, que publicamos na íntegra, não ficaram sem a resposta calorosa e o aplauso de muitos milhares de camaradas e de amigos, de militantes e de simples visitantes que connosco partilham não apenas a Festa mas as lutas de ontem e do futuro.

A terminar com o longo abraço do Avante Camarada, com a fraternidade da Internacional, com a solenidade do Hino Nacional, a Festa voltou a absorver os participantes, desta vez com a força maior de um comício maior.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: