Um novo Chile recupera a memória
Duas semanas no Chile foram uma viagem através do inesperado. Não tinha ideia do que iria encontrar. Mas não foi aquilo que vi e senti. Estivera ali pela última vez no ano 98. Para rever amigos sobretudo. Frei ocupava a Presidência. A atmosfera era deprimente. A tristeza que marcava o fluir da vida doía. Reencontrei então um Chile no qual o povo parecia ter perdido a memória. Com excepção de Volodia Teitelboim, os intelectuais com quem falei, sobretudo nos meios académicos, exibiam um pessimismo generalizado. Pensavam o futuro sem esperança. Voltei agora, transcorridos cinco anos, para participar em iniciativas relacionadas com a passagem do 30.º aniversário da morte de Salvador Allende.

«As alternativas populares e a perspectiva socialista na América Latina»
O 11 de Setembro dos povos
«No 11 de Setembro dos povos latino-americanos, Allende vive!» Esta uma das mensagens do Seminário promovido de 7 a 11 de Setembro, em Santiago do Chile, pela Revista América Livre, Ical (Instituto de Ciências Alejandro Lipschutz) - Chile, Cepis (Cento de Educação Popular Instituto Sedes Sapentiaie) - Brasil, e Centro Martin Luther King Jr.- Cuba, por ocasião do 30.º aniversário da morte de Salvador Allende.

O PCP com o movimento operário travaram a ofensiva fascista
O 28 de Setembro de 1974
Numa altura em que o Governo parece determinado em destruir tudo o que tenha a ver com o 25 de Abril e as suas conquistas, o Avante! - através da transcrição de excertos do livro «A verdade e a mentira na revolução de Abril» de Álvaro Cunhal - lembra a tentativa de golpe fascista e a resposta vitoriosa do movimento popular.