Parteira recebe indulto

O Presidente da República, Jorge Sampaio, concedeu seis meses de perdão de pena à enfermeira Maria do Céu Ribeiro, condenada a sete anos e meio de prisão efectiva por prática clandestina de interrupção voluntária da gravidez, permitindo que esta seja libertada do Estabelecimento Prisional de Felgueiras já no próximo mês de Fevereiro.
O indulto, requerido por um grupo de cidadãos e integrado num conjunto de 38 outros processos deferidos positivamente pelo Presidente na já habitual apreciação de amnistias natalícias, iliba a parteira do cumprimento de uma parte da pena que lhe havia sido aplicada pelo Tribunal da Maia, num julgamento onde foram acusadas da prática ilícita de aborto várias mulheres, cônjuges e profissionais de saúde.
Segundo notícias veiculadas pela comunicação social, Sampaio contrariou o parecer da Ministra da Justiça, Celeste Cardona, que se pronunciou desfavoravelmente em relação a este indulto, em coerência com as posições criminalizadoras assumidas por outros membros do Governo de coligação PSD/PP.


Terramoto «sacode» Irão

Um violento terremoto de 6,3 graus na escala de Richter destruiu mais de 85 por cento da cidade de Bam, no sul do Irão, deixando completamente arrasada uma metrópole que se distinguia pelas construções seculares de barro, pedras e palha, classificada pela UNESCO como património da humanidade.
O sismo, que registou o abalo mais forte na madrugada de sexta-feira ao qual se seguiram diversas réplicas que chegaram aos 5,3 graus na escala de Richter, deixou desalojada toda a população de Bam e provocou mais de 25 mil vítimas mortais e pelo menos 50 mil feridos, números avançados provisoriamente pelos operacionais no terreno.
O governo do Irão apelou de imediato à ajuda internacional e diversas equipas provenientes de duas dezenas de países, entre os quais Portugal, deslocaram-se para a região a fim de participarem nas operações de resgate e salvamento.
Entretanto a ONU anunciou a intenção de dar por concluídas as operações de busca de sobreviventes entre os escombros, hipótese prontamente rejeitada pelo governo de Teerão, que pretende estendê-las até ao final do ano, o que até agora se tem revelado acertado a julgar pelo número de vidas retiradas de baixo das toneladas de terra.
As Nações Unidas justificaram tal posição devido às dificuldades de coordenação de meios existentes no teatro da tragédia, preferindo dar prioridade à concentração de meios e esforços no alojamento e alimentação dos sobreviventes, no tratamento dos feridos e no sepultamento dos cadáveres, que ameaçam espalhar epidemias como a cólera e a difteria.


«Vacas loucas» ameaçam EUA

Depois do surto de BSE que afectou a produção e consumo de carne bovina em diversos países da Europa ocidental, a doença vulgarmente conhecida como das «vacas loucas» ameaça agora os Estados Unidos da América.
O anúncio público do primeiro caso registado do outro lado do Atlântico, detectado na passada semana num rancho do Estado de Washington, provocou o pânico na população, atitude contrastante com a das autoridades norte-americanas que procuram desdramatizar a situação.
Para além dos comprovados perigos para a saúde pública provenientes do consumo de carne infectada com encefalopatia espongiforme bovina, que em Inglaterra e França já provocou a morte a cerca de centena e meia de pessoas, estão em causa mais de 97 milhões de cabeças de gado americanas e um volume de negócios que, todos os anos, rende aos cofres dos EUA cerca de 2,41 mil milhões de euros só em exportações.
Países como o Japão, responsável por 32 por cento das exportações, Brasil, México e Austrália juntaram-se a uma dezena de outras nações e embargaram o comércio de carne americana, ameaçando manter a medida até que sejam asseguradas condições de consumo por parte das autoridades internacionais.
Outra das áreas de negócios afectadas é a das cadeias internacionais de comida rápida Mc’Donalds e Buffalo Grill, cuja cotação das acções desceu drasticamente nas principais praças do mercado bolsista.
As previsões apontam ainda para a queda progressiva do valor das acções das empresas ligadas à produção e distribuição de carne bovina americana, cujo primeiro sinal foi já dado pelo decréscimo do volume de negócios na bolsa de Chicago, a maior do mundo no que diz respeito a comércio grossista de produtos alimentares.


Algarve sem água

As populações dos concelhos de Lagos, Portimão e Vila do Bispo, no barlavento algarvio, viram-se privadas, desde o passado dia 25, do fornecimento de água devido à ruptura da principal conduta de abastecimento da região.
A situação, que obrigou ao retorno ao antigo sistema de captação em furos, poços e lagoas, foi motivada pelo colapso da estrutura que passa por baixo da Via do Infante, recentemente inaugurada pelo Ministro das Obras Públicas.
Segundo declarações dos autarcas da região, a empresa Águas do Algarve não devia ter aceite o projecto nas condições propostas, uma vez que não foi construído um túnel de protecção da conduta, facto que estará na base da ruptura.
Parte do troço da Via do Infante foi demolida para proceder à reparação, não se sabendo ainda quando estarão totalmente operacionais o fornecimento de água às populações e a circulação rodoviária.


Resumo da Semana