Desemprego continua a subir

De acordo com dados divulgados, quinta-feira, pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, (IEFP), a taxa de desemprego continua a aumentar em Portugal.
Os dados indicam que, no passado mês de Dezembro, o número de inscritos nos Centros de Emprego do Continente e das Regiões Autónomas cresceram 19 por cento em relação ao mesmo período de 2002, cifrando-se o total de desempregados declarados em mais de 450 mil pessoas, ou seja, cerca de mais de 72 mil indivíduos que em Dezembro de 2002.
O crescimento faz-se sentir mais nos homens que nas mulheres, os quais, no espaço de um ano, passaram a representar 43,1 do total, face aos 16,5 registados em final de 2002.
Entretanto, na sexta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou os resultados da taxa de desemprego homólogo para o sector dos serviços, números marcados pela permanência da descida dos postos de trabalho há 13 meses consecutivos.
Segundo o INE, o emprego no sub-sector do comércio por grosso e reparação de veículos e de bens de uso pessoal e doméstico caiu 4,6 por cento, seguido de descidas acentuadas, de 4 e 2,4 por cento, respectivamente, nos transportes, armazenagem e comunicações, e na hotelaria, restauração e cafés.


O estádio e a factura

O Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) concluiu, a respeito de um parecer pedido pelo Governo, que o Estádio D. Afonso Henriques é propriedade do Vitória Sport Clube de Guimarães.
O recinto será um dos dez palcos a receber jogos do Europeu de Futebol de 2004, tendo para o efeito recebido obras de requalificação e ampliação.
Tudo isto seria normal, não fosse a empreitada ter sido comparticipada em mais de três milhões de euros do III Quadro Comunitário de Apoio, verba requerida pela Câmara Municipal de Guimarães.
O que o parecer vem revelar é que, não sendo a edilidade a proprietária do imóvel, transferido para o clube no final de 1990, não poderia ter encaixado o dinheiro do contrato-programa de Desenvolvimento Desportivo, pois, como afirma o documento da PGR, «não detinha legitimidade para praticar actos de disposição e de oneração sobre essa infra- estrutura».
Assim, a autarquia vimaranense poderá ter que devolver a verba aplicada nas obras do D. Afonso Henriques, estando ainda por apurar, caso tal aconteça, se o clube irá assumir a devolução, ou se serão os contribuintes a pagar mais esta factura de luxo.


Recursos mais pobres

A Academia de Ciências de França (ACF) revelou, em documento tornado público sexta-feira, que os recursos piscícolas mundiais sofrem cada vez mais de sobre-exploração, estando em risco a sobrevivência de algumas espécies e a capacidade destas para se reproduzirem nos moldes mínimos aceitáveis.
O estudo, da responsabilidade do Instituto Oceanográfico de Paris, afirma que está em causa o rápido esgotamento de muitos recurso marinhos e apela ao estabelecimento de medidas para o combate à extinção de populações inteiras.
Finalmente, de acordo com o texto da ACF, a Política Comum de Pescas da União Europeia não tem em conta a verdadeira dimensão do problema, uma vez que as recentes alterações introduzidas apenas visam a protecção de espécies consideradas em «rápido declínio» e, ainda assim, registando não mais que uma «melhoria parcial e temporária» na captação das mesmas.


Adopção rima com discriminação

A Inspecção Geral de Saúde está a investigar alegados casos de adopção ilegal de crianças filhas de seropositivos, envolvendo a Santa Casa da Misericórdia, o Hospital de Santa Maria (HSM) e os progenitores, os quais estariam em tratamento naquela unidade de saúde de Lisboa.
De acordo com a denúncia feita pelo familiar de um dos eventuais lesados, os Serviços Sociais do HSM não terão informado convenientemente os pais portadores de HIV do conjunto de apoios disponíveis, encaminhando-os para a ajuda prestada pela Santa Casa da Misericórdia (SCM).
Posteriormente, os serviços de adopção daquela entidade requerem ao Ministério Público, supostamente sem o conhecimento dos pais, a retirada da custódia dos bebés e o desenvolvimento de processos de acolhimento com base nos fracos recursos económicos dos pais biológicos, que acabam por resultar em adopção por parte de outras famílias.
As investigações, confirmadas pela administração do HSM e pelo ministro da Saúde, incidem ainda sobre um outro vector do problema, também coincidente com a denúncia produzida pelo familiar, o facto de só serem incorporadas na adopção as crianças que não estejam infectadas com o vírus da SIDA.


Uma prenda para Eugénio

Por iniciativa das Edições Asa e da Cooperativa Árvore e no âmbito das comemorações do octogésimo aniversário de Eugénio de Andrade, decorreu, na passada sexta-feira, no Arquivo Histórico do Porto/Casa do Infante, a sessão de lançamento dos livros «uma prenda para Eugénio com algumas túlipas» e «os dóceis animais».
Para além da apresentação das obras que reúnem, respectivamente, poemas e pinturas de 67 artistas para os 80 anos do poeta e poemas do próprio dedicados aos gatos, acompanhados de 12 ilustrações de Cristina Valadas, o evento teve também como finalidade encerrar o ciclo de homenagens realizadas no decurso de 2003.
Recorde-se que no passado dia 10 de Janeiro, no mesmo espaço, foi inaugurada uma exposição com as pinturas e ilustrações agora incluídas nos livros, à qual precedeu a exibição do filme «Eugénio de Andrade – Vida e Obra».


Resumo da Semana