Breves
Privatização à vista
Foi recentemente subscrito pelos primeiros-ministros da Economia de Portugal e Espanha um acordo para a criação do denominado Mercado Ibérico de Electricidade «MIBEL». Este acerto tem com objectivo a liberalização dos serviços de energia e num futuro próximo a privatização dos mesmos.
Um dos argumentos utilizados para justificar a assinatura do acordo é que a liberalização da energia traz vantagens aos consumidores por lhes permitir que escolham o seu fornecedor.
«Verdade assente é que para já os custos que vão ser reduzidos são os dos grandes consumidores. Esperamos que tais reduções não sejam consideradas à custa dos aumentos dos preços das tarifas dos consumidores domésticos ou dos pequenos agentes económicos», alertou, na passada semana, o Movimento dos Utentes dos Serviços Público.

CDU mais forte
Os militantes e simpatizantes do projecto do PCP, em Amares, reuniram-se, no final do mês, para analisar os dois primeiros anos do Executivo municipal.
«Da parte da CDU existe a consciência de tudo ter feito para contribuir para o desenvolvimento do município, através de propostas, sugestões e denúncias», afirmam os comunistas eleitos, salientando, que, no entanto, «se continua a “marcar passo” a tão desejado salto qualitativo que o concelho necessita, nomeadamente no meio ambiente e na planificação do ordenamento do território».
No que respeita à acção futura da CDU no concelho, os eleitos destacam o «combate à poluição dos cursos de água e das águas freáticas», o «aumento do número de deputados eleitos nas eleições para o Parlamento Europeu» e o «reforço do número de freguesias a que a CDU concorre».

Utentes exigem saúde
Face à iminência de terminar, por falta de meios humanos, o acompanhamento médico regular aos doentes depressivos dos concelhos do Seixal, Sesimbra e Almada, as Comissão de Utentes da Saúde estão a realizar um abaixo-assinado exigindo que os «necessários» e «indispensáveis» cuidados de saúde continuem a ser prestados.
«Se à falta de recursos humanos no Seixal, juntarmos a inexistência de serviço de psiquiatria no Hospital Garcia de Orta e de especialistas dessa área em todos os centros de saúde, fácil é de adivinhar que estamos perante um grave problema de saúde», afirmam as comissões de utentes.

Destruição da cultura
Os eleitos da CDU de Vila Franca de Xira têm vindo a assumir uma série de tomadas de posição e esclarecimento relativamente à cedência do Palácio do Sobralinho, por parte da Câmara Municipal (PS), a uma entidade privada, com o objectivo de criação de uma unidade hoteleira.
Assim, em declaração de voto, os vereadores da CDU, defendem a perspectiva de que «a existência de património municipal daquele tipo só se justifica pela intenção política de o disponibilizar à fruição cultural e de lazer de toda a população».
Os eleitos do PCP denunciam ainda que outras privatizações estão a caminho. «Ficou aberta a possibilidade de outros equipamentos municipais seguirem idêntico caminho passando a construir investimento destinado a obter mais valias financeiras e não rendimento social e cultural», constatam os eleitos.


Informação na Moita
«Maré Cheia» é o título da nova agenda de eventos que vai ser editada mensalmente pela Câmara da Moita. Com esta nova publicação a autarquia comunista pretende informar melhor os seus munícipes e o público em geral.
Ao longo dos meses do ano, a Câmara da Moita dará conta de todas as actividades programadas, acrescentando sugestões ou dando a conhecer, em simultâneo, histórias, episódios e notícias relacionadas com os temas fortes da vida comunitária local.

Couço merece respeito
A CDU do Couço analisou e debateu, recentemente, o trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia e pela Câmara Municipal de Coruche, após dois anos de mandato autárquico.
«O segundo ano deste mandato foi extremamente difícil, recheado de imprevistos, que obrigaram a enormes esforços, dado que as verbas vindas do Orçamento de Estado e da autarquia são insuficientes para uma gestão eficaz da freguesia», lamentam, em comunicado, os eleitos do PCP.
Denunciaram ainda que a Câmara, de maioria PS/PSD, tem vindo a adiar as obras de maior importância para o desenvolvimento daquela região, nomeadamente o «Centro de Saúde», a «Zona Industrial do Couço», a «estrada da Courelinha», o «circuito de manutenção», o «piso sintético para o futebol de 11», o «arranjo das margens do rio para a prática desportiva» e a «ponte da Escusa».


Irresponsabilidades ambientais
Os comunistas eleitos na Câmara e Assembleia Municipal de Coruche acusaram, na passada semana, o Executivo PS/PSD de «incapacidade» e «irresponsabilidade» no que concerne a questões ambientais.
«A maioria que gere a Câmara Municipal cedo mostrou não ter sensibilidade ou competência para esta área, como foi o arranque precipitado e evitável, em Março de 2002, de todo o arvoredo ao longo da margem direita do rio Sorraia», denunciam os comunistas.
Os eleitos, pela CDU, destacam ainda pela negativa, entre outras, as «obras de remodelação do Parque do Bairro da Areia», o «corte de um conjunto de três exemplares de “gravíleas”, árvores de valor patrimonial, com mais de 50 anos», e o «abandono do ajardinamento da Quinta do Lago».
Face ao sucedido, os comunistas de Coruche deixam uma pergunta no ar: «Pretenderá a autarquia, a pretexto desta incapacidade, justificar a criação de alguma empresa municipal para a gestão das zonas verdes e das questões ambientais?».

Protestos em Vilarinho
Milhares de habitantes de Vilarinho manifestaram-se, na passada semana, contra as alterações na linha férrea entre Guimarães e o Porto. Entretanto, em nota dirigida ao Avante!, a Comissão de Freguesia de Vilarinho do PCP denuncia a «irresponsabilidade» dos dirigentes governamentais na manutenção desta situação e reclama a reposição dos horários existentes a fim de evitar que a população seja mais prejudicada, com custos desnecessários nas suas deslocações.

Mais cimento em Agualva?
A CDU da cidade de Agualva-Cacém vai realizar, no domingo, nos Bombeiros Voluntários da região, um encontro para debater o Plano de Pormenor de Agualva, na área dos Quatro Caminhos.
No entender dos comunistas «este plano, em discussão pública, é uma proposta absurda para o terreno onde, em resultado da gula do betão, nasceu a «piscina» de Agualva. Mais a CDU sempre se opôs ao aumento da construção nesta freguesia - já tão massacrada pela ausência de equipamentos sociais, de espaços verdes e de lazer».

Trabalho autárquico
A pedido dos moradores, o vereador comunista na Câmara Municipal do Porto, Rui Sá, eleitos da Assembleia Municipal e activistas da CDU realizaram, no passado fim-de-semana, uma visita às obras do interface de Campanhã.
Também, os eleitos da CDU na Câmara e Assembleia Municipal da Amadora e nas Assembleias de Freguesia da Damaia e Venda Nova deslocaram-se ao Bairro Estrela de África para se inteirarem da situação que lá se vive, tendo em conta a decisão do Tribunal de entrega, à sua proprietária, do terreno em que o bairro está implantado, levando ao despejo dos seus habitantes.

CDU tinha razão
A Assembleia de Freguesia de Póvoa de Santa Iria, em sessão extraordinária aprovou uma resolução que determina a remoção do separador central, recentemente, construído na Av. Ernest Solvoy, dados os evidentes prejuízos causados à fluidez do transito e os consequentes protestos da população. Nesta iniciativa, foi ainda aprovado, com os votos contra do PS, a concretização urgente de um estudo de mobilidade em Póvoa de Santa Iria

Intransigência em Avis
A questão de redução do horário de funcionamento do Centro de Saúde de Avis e a crescente degradação dos serviços de saúde prestados nas freguesias do concelho, motivaram, por parte dos autarcas das região, um pedido de audiência ao Governador Civil de Portalegre e também à Coordenadora da Sub-Região de Saúde.
Iniciada a reunião, ficou-se a saber da total intransigência por parte das duas entidades para alterar a decisão tomada, motivo pela qual a delegação manifestou desapontamento face às expectativas criadas sobre a busca de uma solução conjunta.