<em>Prosegur</em>: jejum de protesto
Os 19 trabalhadores da Prosegur, em Torres Novas, despedidos ilegalmente, efectuam hoje mais meio dia de jejum, em protesto, frente à sede da empresa, em Lisboa, entre as 10 e as 22 horas, após, na sexta-feira, se terem concentrado também durante doze horas em jejum.
O encerramento da filial de Torres Novas decorreu da implementação de um novo sistema rotativo de horários que deixou de considerar as horas aos fins-de-semana como trabalho suplementar, reduzindo os salários reais dos trabalhadores em cerca de 20 por cento. Torres Novas foi a única delegação de trabalhadores do sector de transporte de valores que rejeitou a proposta, tendo a administração avançado com o seu encerramento.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: