Estado poupa, doentes gastam mais

Os portugueses estão a pagar uma factura mais elevada por alguns dos medicamentos comparticipados. A despesa suplementar suportada pelos doentes, devido à actualização do sistema de preços de referência (SPR), ascendeu a um total de 6,7 milhões de euros.
Ao invés, o Estado poupou, no mesmo período, 37,9 milhões de euros, indicam os cálculos do observatório da Associação Nacional de Farmácias (ANF). A poupança do Estado nos gastos com medicamentos tem, mesmo assim, pouco significado no conjunto da despesa pública com fármacos - que continua a crescer acima do esperado, agravando a já muito complicada situação financeira.
Só no primeiro semestre deste ano o Serviço Nacional de Saúde gastou perto de 700 milhões de euros com medicamentos em ambulatório e as dívidas à ANF e à Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica ultrapassam os 10 mil milhões de euros, excluindo os juros.
A ANF disse, entretanto, ao jornal A Capital, que o potencial do mercado «não está ser aproveitado» e o utente «está a ser penalizado». As comparticipações dos medicamentos de marca diminuíram com a criação dos preços de referência, através dos quais o Estado só concede bonificações de acordo com o preço do genérico mais elevado, e o doente é quem está a pagar a factura.


Wangari Maathai galardoada

O Prémio Nobel da Paz de 2004 foi atribuído este ano à ecologista queniana Wangari Maathai, a primeira africana a receber esta recompensa, anunciou domingo o comité Nobel norueguês. O comité justificou a atribuição do prémio a Maathai pela sua contribuição para a protecção do ambiente, democracia e paz.
A militante ecologista defendeu entretanto que todos estes aspectos estão ligados. Para Maarhai ao erguer a bandeira de um melhor ambiente «estamos a lançar as sementes da paz, para o presente e futuro». A causa ecológica «é um aspecto importante da paz, porque quando os recursos rareiam, lutamos para os conseguir», afirmou a premiada em declarações à televisão estatal da Noruega, NRK.
Wangari Maathai fundou em 1977 o «Green Belt Movement», o principal programa de plantação de árvores em África destinado a promover a biodiversidade dando, ao mesmo tempo, emprego às mulheres, para assim valorizar a sua imagem na sociedade.
Maathai, actualmente com 64 anos, tem lutado pelos direitos humanos e dos camponeses no seu país, motivo pelo qual chegou a estar presa.


Histórias de liberdade e justiça

«Saudades... Não Têm Conto!», o novo livro do histórico dirigente do PCP António Dias Lourenço foi apresentado esta terça-feira na Associação 25 de Abril, em Lisboa, pela escritora Alice Vieira. Esta obra é composta por pequenas cartas de um pai há longos anos detido por trás das muralhas da velha e histórica fortaleza quinhentista de Peniche, transformada por Salazar em elo principal do universo carcerário da ditadura. Escritos para um filho muito querido, de quem estava separado, e que uma leucemia ceifou aos dez anos de idade.
Na passada semana, também na Associação 25 de Abril, foi apresentado o livro «Sonhos de Poeta, Vida de Revolucionários», de Manuel Pedro, igualmente dirigente do PCP, funcionário clandestino do Partido longos anos preso pela PIDE. Manuel Pedro, na sua obra, apresentada por José Casanova, director do Avante!, revela-nos um sem número de momentos - dolorosos e às vezes trágicómicos - desses homens e mulheres que entregaram a sua vida à causa da liberdade e da justiça.


Petróleo volta a subir

O preço do petróleo Brent abriu terça-feira em Londres acima dos 51 dólares, enquanto o barril de referência em Nova Iorque ultrapassava os 54 dólares, batendo novo recorde histórico num mercado obcecado com riscos de penúria.
O preço do barril de Brent para entrega em Novembro abriu nos 51,35 dólares em Londres, em alta de 69 cêntimos face ao fecho de segunda-feira. No mercado electrónico de Nova Iorque, o crude de referência valia 54,06 dólares às 9:45 horas, em alta de 42 cêntimos em relação ao fecho da véspera. Na Ásia, o preço do petróleo ultrapassou também a barreira dos 54 dólares.
O preço do barril de referência da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, média de um cabaz de sete qualidades de crude, fixou-se na segunda-feira em 46,04 dólares estabelecendo um novo recorde, de acordo com a última cotação divulgada pela OPECNA.


Morreu Christopher Reeve

O actor norte-americano Christopher Reeve, que se notabilizou pelos seus papeis de «Super Homem» no cinema, morreu domingo, aos 52 anos, na sequência de uma paragem cardíaca.
Em Maio de 1995, Christopher Reeve caiu de um cavalo durante uma competição equestre em Culpeper, Virgínia, e partiu o pescoço. Apesar deste acidente quase fatal, que o deixou paralisado do pescoço para baixo e com enormes dificuldades respiratórias, Reeve voltaria ao mundo do cinema em 1998, num remake do famoso filme de suspense de Alfred Hitchcock «Janela Indiscreta», em que um homem numa cadeira de rodas, que se entretém a vigiar a vizinhança, se convence de que uma vizinha foi assassinada.
Entre outros títulos a que o seu nome ficou associado figuram os filmes «Village os the Damned», de John Carpenter, «Above Suspiction» e «In the Gloaming», que realizou.
Além do papel de Super-Homem, Reeve será sempre recordado pela forma como lutou pela melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência física e pelo seu apoio aos esforços na área da investigação científica, nomeadamente no campo das células embrionárias.


Resumo da Semana