Carlos Carvalhas intervém no encerramento do encontro, às 18 horas
Este sábado, em Lisboa
Encontro Nacional sobre Educação
O PCP debate, no sábado, no Hotel Continental, em Lisboa, os problemas da educação. Aprofundar análises e actualizar orientações são os principais objectivos.
Um pouco por todo o País, e a par da preparação do Congresso, os comunistas estão a preparar o Encontro Nacional sobre a Situação na Educação, que se realiza no próximo sábado em Lisboa e que conta com a presença do secretário-geral, Carlos Carvalhas. O objectivo era estender a discussão a todo o Partido, mas Jorge Pires, membro da Comissão Política, reconhece que a preparação deste encontro foi feita, fundamentalmente, por comunistas professores, pelos militantes e organizações da JCP e por alguns camaradas que intervêm em estruturas associativas de pais. Para o dirigente do PCP, isto é normal, dado o período de preparação do Congresso e por serem estes que lidam mais de perto com a questão Mas lembra: «Este é um encontro de todo o Partido.»
Segundo Jorge Pires, a realização deste encontro a pouco mais de um mês do Congresso do Partido não é um acaso. Reconhecendo que o calendário pode, por um lado, dificultar a sua preparação, entende também que a própria discussão do documento do encontro é, ela própria, um contributo para o enriquecimento do projecto de resolução política do Congresso. Para o dirigente do PCP, a educação sofreu tantos ataques e alterações nos últimos anos, que havia que actualizar as análises e posições do Partido. E Jorge Pires realça que há muitas propostas de alteração ao projecto de resolução do Encontor e que o documento será «substancialmente melhorado».
Esta iniciativa tem, desde já, uma virtude. Juntou, em várias zonas do País, um conjunto de quadros partidários e pô-los a discutir problemas da educação. O reforço de algumas organizações pode passar, também, por aqui.

Uma prioridade nacional

No folheto do Encontro, que reflecte o conteúdo do projecto de resolução, afirma-se que os últimos anos na área da educação «foram marcados por uma prolongada ofensiva de políticas de direita, tendo os governos do PS e do PSD/PP como linhas condutoras continuadas a crescente desresponsabilização do Estado, o financiamento público do ensino privado e a subalternização de critérios pedagógicos em prol de critérios economicistas e elitistas».
Esta «crise na educação» tem a sua máxima expressão no abandono escolar que, em Portugal, se situa acima do dobro da média europeia. Portugal é também o país europeu com maior taxa de analfabetismo e iliteracia.
Entendendo o PCP a educação como valor estratégico fundamental para o desenvolvimento do País – ainda para mais com os índices atrás referidos –, o encontro do próximo sábado poderá dar um contributo para o apuramento das necessárias orientações. O projecto de resolução avança algumas das principais prioridades a que o Partido terá de dar resposta: «o efectivo combate ao abandono escolar; ao insucesso escolar; à exclusão social e escolar; o investimento na escola pública, de qualidade e inclusiva, com a gratuitidade de todo o ensino público», entre outras.
O encontro tem início às 10.30 horas e termina às 18, com a intervenção de encerramento do secretário-geral do Partido, Carlos Carvalhas.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: