Empresa Nacional de Urânio
Solução tarda
A situação dos trabalhadores da Empresa Nacional de Urânio (ENU) continua a ser seguida com atenção pela bancada comunista e a justificar diligências suas junto do Governo para que este informe sobre o que está a fazer para ajudar a resolver as actuais questões laborais.
Em requerimento assinado pela deputada Ângela Sabino (depois de um outro de Bernardino Soares não ter até à data obtido qualquer resposta), volta a insistir-se na necessidade de ser clarificada a situação dos trabalhadores da ENU em Urgeiriça.
O ponto em que as coisas estão, segundo a deputada do PCP, ultrapassou o limite do tolerável para estes trabalhadores que, na sua generalidade, estiveram expostos a graves perigos e que dedicaram grande parte das suas vidas à empresa.
Com efeito, as mais recentes notícias apontam para o encerramento da empresa já no final deste ano e a verdade é que continua por resolver a situação de muitos trabalhadores, faltando a aplicação do Decreto-lei 195/95.
Isto não obstante os sucessivos governos, através dos seus ministros e secretários de Estado, desde há anos, virem afirmando e reiterando o propósito de cumprir a resolução aprovada por unanimidade pela Assembleia da República (Resolução N.º 34/2001, publicada no DR N.º 101, em 2/5/2001).


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: