É necessário levar a luta ao voto na CDU, mas também quem não lutou
Peste & Sida com a Juventude CDU
«Está na tua mão mudar a situação!»
Domingo à noite foi dia de festa e de luta com a iniciativa da Juventude CDU, realizada no passado domingo na Cova da Piedade, em Almada. Peste & Sida e Forgotten Sons foram os artistas da noite, num palco pelo qual também passou o secretário-geral do PCP para umas breves mas certeiras palavras.
«Está na tua mão mudar a situação!» Foi com este refrão, de uma das suas mais conhecidas canções, que os Peste & Sida demonstraram, uma vez mais, o seu apoio à CDU e à necessidade de votar na coligação entre comunistas e ecologistas no próximo dia 20 de Fevereiro. Participando na iniciativa da Juventude CDU, no passado domingo, na Cova da Piedade, a mítica banda punk nacional não cessou de fazer a ligação entre os seus refrões de intervenção social e o momento eleitoral que se vive. E não raras vezes apelou directamente ao voto na CDU. Algumas delas empunhando, com convicção, uma bandeira rubra da coligação.
O resto – se for possível separar – foi puro rock, pura energia, pura revolta. Contra a «repressão policial, terrorismo oficial: alerta geral», contra os que se passaram «para o outro lado da barricada», contra o Governo PSD/PP, e a exploração a que obrigam os trabalhadores – tudo excertos de velhas e novas canções da banda entoadas pela juventude que participava na iniciativa.
O vocalista da banda, João San Payo, (apoiante da CDU), visivelmente agradado com a receptividade dos participantes, não poupava esforços – tal como o resto da banda – para darem o seu melhor naquilo que de bom sabem fazer: tocar boa música, com raiva e revolta contra o sistema, mas também – e sobretudo – com uma grande vontade de o transformar. E nisso todos – público e banda – estavam de acordo. Há que mudar. Mas mudar a sério!

Uma arma carregada de futuro

Apresentado pelo vocalista dos Peste & Sida como o «camarada Jerónimo de Sousa», o secretário-geral do PCP proferiu umas breves mas certeiras palavras, àquelas centenas de jovens confiantes num mundo melhor. Considerando que a luta dos jovens – trabalhadores e estudantes, do secundário, superior ou profissional – deu um enorme contributo para a derrota do Governo, o dirigente comunista saudou particularmente os comunistas pelo seu destacado papel na condução destas lutas.
Pegando no lema da Juventude CDU, recordou que é necessário levar a luta ao voto. Mas, frisou, mesmo os que, por uma ou outra razão, não lutaram mas que são prejudicados pela política do Governo, devem votar na CDU. A finalizar, o secretário-geral comunista apelou aos jovens para que «tomem o vosso futuro nas vossas mãos» e, «parafraseando alguém, a juventude é uma arma carregada de futuro».
Antes do secretário-geral do PCP, falou Mário Peixoto, dirigente da JCP e candidato pelo círculo de Setúbal. O jovem dirigente comunista destacou a necessidade de mudar a sério e afirmou que a juventude não precisa da precariedade e das propinas que o PSD, PP e PS propõem, nem das guerras deste Governo.
Antes, os Forgotten Sons tinham começado a noite, com um espectáculo que combinava o metal, com o rock sinfónico e o rock puro e simples.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: