«Os Verdes» criticam Governo

O Partido Ecologista «Os Verdes» (PEV) condenou, sexta-feira, a posição do anterior governo por não ter aceite a definição de objectivos quantificados de redução de emissões poluentes para o segundo período do Protocolo de Quioto, a partir de 2012.
«“Os Verdes” não podem deixar de condenar a vergonhosa posição de Portugal que, no âmbito da União Europeia, foi um dos países que defendeu que não deveriam ainda ser definidas quaisquer metas», lê-se num comunicado do PEV.
Dias antes, os ministros do Ambiente da União Europeia mostraram-se divididos sobre a possibilidade de propor já objectivos quantificados de redução de emissões de gases a partir de 2012, no âmbito das negociações com os restantes parceiros internacionais.
Em causa está a definição de objectivos concretos de redução de poluentes a partir do segundo período de Quioto, nomeadamente para os países em vias de desenvolvimento. Portugal esteve no grupo dos países que se opôs ao estabelecimento desses objectivos por considerar que é demasiado cedo.
«Os Verdes» prometeram ainda confrontar o novo Governo, no início desta legislatura, «com a situação dramática que Portugal está a criar pela omissão de medidas» para reduzir os gases com efeito de estufa responsáveis pelas alterações climáticas.


Fisco detecta «empresas fantasma»

Ao fazerem o cruzamento com as informações dos contribuintes e das empresas o Fisco detectou 611 empresas que diziam ter cessado actividade mas que continuavam a surgir como fornecedores e/ou clientes. Os valores «movimentados» chegam aos 950 milhões de euros e correspondem a facturas falsas ou cessação falsa da actividade. A notícia foi avançada terça-feira pelo Jornal de Negócios.
Segundo o relatório das finanças do ano passado elaborado pela Unidade de Luta contra Evasão e a Fraude Fiscal e Aduaneira encontrou diversas empresas Fénix responsáveis por uma fraude ao Estado e a particulares que ascende a 1, 1 milhões de euros. Empresas Fénix significam empresas cujos proprietários as descapitalizam e as encerram para reabrirem noutro local, com outra denominação. Ou seja, são empresas fantasma.
De acordo com o relatório divulgado pelo diário foram encontradas 250 mil contribuintes activos que não entregam declarações há vários anos. Deste valor foi seleccionada uma amostra de 174 contribuintes e foi verificado que em 30 por cento dos casos não parece haver qualquer tipo de actividade. Todavia, também terá ficado claro que muitos são caixas de correio, apartados, escritórios de advogados e até endereços inexistentes».


30 mil atletas na Meia-Maratona de Lisboa

Os quenianos Paul Tergat e Susan Chepkemei foram os vencedores, nas categorias masculina e feminina, da 15.ª edição da Meia-Maratona de Lisboa, em que participaram mais de 30 mil atletas.
Paul Tergat - o primeiro homem a vencer por duas vezes a prova de Lisboa, depois de uma primeira vitória em 2000 - registou a melhor marca mundial do ano numa meia- maratona, com 59.10 minutos, superando os compatriotas Robert Cheruyot (59.21) e Wilson Kiprotich (59.27), que completaram o pódio.
Em femininos, Susan Chepkemei, campeã em 2001 e 2002, também alcançou a melhor marca mundial do ano da meia- maratona, com o tempo de 1:08.47 horas, encabeçando um pódio que teve como segunda classificada a também queniana Margaret Okayo (1:09.17).
António Salvador e Fátima Silva foram os portugueses melhor classificados na 15.º edição da Meia- maratona, nos 13.º e 9.º lugares, respectivamente.
António Salvador criticou a «má organização» da prova, afirmando que os organizadores «só estão interessados nos estrangeiros». «Os portugueses são tratados como mendigos, dão dormida mas não dão almoço, jantar e deslocação», criticou António Salvador.


Brasil homenageia Revolução dos Cravos

O lançamento da Jornada Internacional de Cinema da Bahia deste ano, a decorrer em Setembro, foi segunda-feira marcado por uma homenagem à Revolução dos Cravos portuguesa, que completa 31 anos em Abril.
No lançamento do evento, em Salvador, foi exibido o premiado filme português «Um Outro País» (1999), do realizador paulista Sérgio Tréfaut, que marcou a comemoração dos 25 anos do 24 de Abril de 1974.
O filme contou também com a presença do cineasta brasileiro Glauber Rocha e do compositor Chico Buarque de Holanda, assim como de depoimentos do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e de outros que registaram a Revolução dos Cravos.
A Jornada Internacional de Cinema da Bahia, que é um espaço de integração da produção audiovisual independente de todo o mundo, nomeadamente das nações ibero-americanas e dos países africanos de língua portuguesa, dará um destaque especial este ano às produções representativas dos povos indígenas da América do Sul.
No ano passado, a Jornada foi dedicada aos países africanos de língua oficial portuguesa (Palop), com ênfase para a cinematografia moçambicana.


Espanha em silêncio

Milhões de pessoas cumpriram, sexta-feira, em toda a Espanha, cinco minutos de silêncio em memória das vítimas dos atentados de 11 de Março de 2004, em Madrid.
O acto simbólico decorreu com muitas pessoas a manifestarem o seu pesar nas ruas, sobretudo em Madrid, onde empregados abandonaram os locais de trabalho, enquanto outros pararam as viaturas em que circulavam para se associarem à homenagem silenciosa.
Na gare madrilena de Atocha, estação terminal dos comboios da morte, os passageiros pararam no cais em homenagem aos 191 mortos nos piores atentados jamais registados em Espanha.
O silêncio também reinou no Senado, no Congresso de Deputados, ou mesmo no Bosque dos Ausentes, no Parque do Retiro de Madrid.


Resumo da Semana