Ameaças ao sector têxtil
<font color=0093dd>Governo passa ao lado</font>
Questão a que os comunistas têm dado a maior atenção é à ameaça existente por decisões externas sobre o sector têxtil. Jerónimo de Sousa não esqueceu, porém o «comprometimento» que houve dos governos do PS e do PSD para esta situação. E alertou para o facto de, hoje, não ser «excessivo dizer que tendo em conta as decisões da OMC e o seu conteúdo podemos ser confrontados com a liquidação de centenas de milhares de postos de trabalho num sector que envolve directa e indirectamente cerca de um milhão de portugueses».
«Qual é a resposta que o Governo dá a esses trabalhadores, a essas empresas, tendo em conta a tal necessidade do crescimento económico do nosso País ?», perguntou. No decurso do debate, o problema voltou a ser levantado pela bancada do PCP. Por duas vezes, o silêncio do Governo falou mais alto. Nem uma palavra sobre a grave situação do sector têxtil e vestuário.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: