«A coligação de esquerda mantém forte aprovação popular»
Frente Ampla ganha eleições no Uruguai
Esquerda reforça posições
A coligação de esquerda uruguaia, Frente Ampla (FA), venceu as eleições municipais de domingo passado e dirige agora as províncias mais populosas e produtivas do país.
Depois da histórica vitória nas presidenciais de Outubro de 2004 e a eleição de Tabaré Vasquez para o cargo de Chefe de Estado do Uruguai, a FA voltou a derrotar os tradicionais partidos Nacional e Colorado. Este último sofreu mesmo a sua maior derrota eleitoral perdendo quatro das cinco províncias que administrava.
Da mesma forma, os «brancos», como também são conhecidos os conservadores do Partido Nacional, só disfarçaram a derrota eleitoral e a perda de três províncias directamente para as candidaturas de esquerda com a manutenção de outros dez executivos no interior daquela nação sul-americana.
Quanto à FA, que desde 1971 afirma estar disposta a alterar a correlação de forças políticas e sociais a favor dos interesses dos trabalhadores, voltou a ganhar a maior província do país, Montevideu, onde se localiza, com o mesmo nome, a capital do Uruguai, e triunfou ainda em outras sete regiões: Canelones, Paysandú, Salto, Florida, Treita y Tres, Rocha e Maldonado.

Condições para mudar

Os resultados do sufrágio alcançados pela FA têm sido indicados não só como um triunfo inédito na história política do Uruguai, mas também como um sinal de que o governo de Tabaré Vasquez e da coligação de esquerda mantém forte aprovação popular.
A este facto acresce a possibilidade que se abriu de acelerar programas e reformas no âmbito económico e social, uma vez que os candidatos da esquerda passaram a dirigir cerca de 75 por cento da população e os territórios mais significativos no que toca à criação de riqueza, gerando enorme expectativa no cumprimento da promessa de uma mais justa distribuição da mesma.

Três motores económicos e sociais

Em Montevideu, a província mais produtiva onde habitam metade dos pouco menos de 3,5 milhões de uruguaios, a FA ganhou pela quarta vez consecutiva, apresentando como cabeça de lista o biólogo Enrique Ehrlich.
Ehrlich foi membro do Movimento de Libertação Nacional (MLN-Tupamaros) e passou anos nas prisões da ditadura militar, regime que governou o país com mão de ferro entre 1973 e 1985.
Na vizinha província de Canelones, a segunda em população e em contributo relativo para o PIB, a presidência vai ser assumida pelo dirigente comunista Marcos Carámbula após ter arrecadado cerca de 63 por cento dos boletins depositados.
Finalmente, em Maldonado a vitória da FA foi alcançada depois de dúvidas levantadas quanto a um possível empate técnico com o PN.
Esta última região é igualmente vital para a alteração das prioridades económicas e sociais no Uruguai. Em Maldonado fica a internacionalmente conhecida estância balnear de Punta del Este, principal angariadora de divisa estrangeira para os cofres estatais.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: