<font color=994000>14 meses que mudaram Portugal</font>
«Conseguiram arredar do poder aquele contra o qual, utilizando os mais indignos meios e campanhas, tinham movido uma guerra sem quartel. Sem quartel, porque, firme e corajoso, durante mais de um ano primeiro-ministro nos tempos cruciais da Revolução, deu tudo de si próprio para que em Portugal fosse criada uma sociedade mais justa e melhor. Sempre com o povo, que o aclamava “força, força, companheiro Vasco, nós seremos a muralha de aço”.
Afastaram o general, afastaram o primeiro-ministro. Não afastaram o “companheiro Vasco” do coração de muitas e muitas centenas de milhar de portugueses e portuguesas para quem a gratidão não é palavra vã».


As palavras escritas por Álvaro Cunhal na obra «A Verdade e a Mentira na Revolução de Abril» dizem respeito ao derrube do V Governo Provisório e ao pronunciamento militar de Tancos.
Dizem respeito e calam fundo no peito de todos os que, entre 18 de Julho e 2 de Setembro de 1975, apoiaram, defenderam, inspiraram e concretizaram as medidas exigidas pelo povo e pelo seu mais fiel representante em quatro Governos Provisórios.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: