Portugal a arder

São onze os distritos mais afectados pelos incêndios deste Verão, particularmente nas regiões do Norte e Centro do País: Coimbra, Aveiro, Guarda, Viseu, Beja, Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo, Leiria e Santarém são os distritos onde mais se tem sentido as chamas.
Segundo o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil, diariamente ocorrem, por média, entre 400 a 500 incêndios.
Em Seia, na terça-feira, cinco bombeiros ficaram feridos no combate a um incêndio que destruiu uma fábrica de tijolos, e chegou a ameaçar as instalações da Águas da Serra da Estrela. Prevê-se que o tempo se vá manter seco e quente. Em comunicado, a Autoridade Nacional para os Incêndios Florestais apelou ao envolvimento de todos os cidadãos na prevenção.
Á hora de fecho desta edição, os Concelhos mais afectados eram os de Penacova, Albergaria-a-Velha, Seia, Tabuaço, Carrazeda de Anciães, Arouca, Santa Maria da Feira, Pinhel, Santa Eulália e Amarante eram os Concelhos mais afectados.


Almada inaugura teatro

A Câmara Municipal de Almada inaugura, segunda-feira, dia 18, o novo teatro municipal. A inauguração está marcada para a data do encerramento do XXII Festival Internacional de Teatro de Almada.
Para a cerimónia de abertura ao público do novo espaço cénico da autoria dos arquitectos Manuel Graça Dias e Egas José Vieira, está marcado um recital do pema de Cesário Verde, Num bairro moderno, que será interpretado pela actriz Teresa Gafeira e a soprano, Isabel Biu. A encenação é de Joaquim Benite e a direcção musical e o piano estarão a cargo de Fernando Fontes.
A presidente da edilidade, Maria Emília Sousa, está presente na inauguração.


Violência no Ulster

No final da marcha anual dos pró-britânicos da Ordem de Orange, na terça-feira, ocorreram confrontos no norte de Belfast, na Irlanda do Norte, entre republicanos e unionistas, tendo saído feridos, 80 polícias e dois jornalistas. A marcha que simboliza a vitória histórica dos unionistas frente ao Exército Republicano Irlandês, IRA, atravessa anualmente a zona onde a maioria da população apoia o partido independentista, Sinn Fein, num acto de provocação que é historicamente, a causa dos desacatos em Ardoyne.
A pedras e bombas incendiárias, a polícia respondeu com balas de plástico, matracas, escudos, cães, viaturas blindadas e canhões de água, alegadamente com a intenção de evitar o confronto entre ambas as comunidades.
O líder do Sinn Fein, Garry Adams, já fez saber que a maioria dos que protestaram contra a marcha, o fizeram de forma pacífica.
Quanto ao número de vítimas civis, não foi divulgado qualquer dado até ao momento.


Mitterrand terrorista

O jornal francês, Le Monde, editou um relatório de 23 páginas de 1986, dos serviços secretos franceses, onde o ex-presidente, Francois Mitterrand, dá acordo explícito para para a sabotagem no navio da Organização ecologista, , Rainbow Warrior, da qual resultou a morte do fotógrafo português e activista daquela ONG, Fernando Pereira.
O atentado de 10 de Julho de 1985, pretendeu evitar os protestos contra os ensaios nucleares franceses no Atol do Muroroa, no Pacífico sul. No relatório, o antigo chefe dos serviços secretos, Pierre Lacoste afirma que só avançou com o atentado após ter tido autorização pessoal do ex-presidente e líder histórico do Partido Socialista francês.
Os únicos dois réus que apareceram no julgamento foram dois agentes da secreta francesa, após uma investigação das autoridades da Nova Zelândia, onde cumpriram três anos de prisão e já estão em liberdade.
O MNE português deu o caso por encerrado.
Ontem, o jornal, LeFigaro, dava conta de outro relatório da brigada financeira da Policia Judiciária francesa, que revela ligações entre o antigo ministro do Interior, Charles Pasqua, no tráfico de armas para Angola. O caso que ficou conhecido por Angolagate, e nele está também implicado o filho do ex-presidente, Jean-Cistophe Mitterrand.


Negativas em matemática

Setenta por cento de um total de 85 mil alunos do 9.º ano, reprovaram na estreia do exame nacional de matemática. Como o resultado conta apenas em 25 por cento para a nota final - e para alívio dos estudantes e das respectivas famílias –, três em cada quatro estudantes acabou por passar na disciplina.
Pelo contrário, em Português, 77 por cento dos estudantes conseguiram passar no teste.
Do total de alunos postos à prova, quase 19 mil tiveram nota 1, numa escala que vai do nível 1 ao 5.


Resumo da Semana