Festival Mundial da Juventude e dos<br>Estudantes começa no domingo
A delegação portuguesa ao 16.º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes parte amanhã para Caracas, na Venezuela, onde o evento se realiza entre dos dias 7 e 15, sob o lema «Pela Paz e a Solidariedade, Lutamos Contra o Imperialismo e a Guerra».
A delegação é composta por 60 jovens, alguns representantes de associações juvenis outros participando a título individual, de diversos pontos do país e com diversas actividades.
O Comité Nacional Preparatório Português (CNP) preparou dois workshops a desenvolver no festival. O primeiro tem como tema a Revolução do 25 de Abril e os direitos conquistados e procura dar a conhecer a revolução portuguesa: a perspectiva histórica, o papel dos jovens, as conquistas e direitos alcançados pelo povo português e a actualidade dos direitos de Abril, relacionando estes aspectos com a enorme produção cultural, musical e literária que caracterizou o processo revolucionário português. Uma exposição acompanha a iniciativa.
«Encontro da Lusofonia» é o tema do segundo workshop. Organizado conjuntamente com os CNPs dos países de língua oficial portuguesa, visa explorar e desenvolver os laços de amizade e solidariedade que unem estes povos e o reforço e a defesa da língua comum. Estará presente a música, as tradições, a gastronomia, o cinema, a dança, o teatro e a fotografia.
O CNP português organizou ainda um espectáculo da Brigada Victor Jara e a uma peça de teatro elaborada pelo grupo de teatro «Lêndias de Encantar» que integra o CNP. A peça, chamada Catarinas de Baleizão e conta com a participação de três actores.
No âmbito dos encontros que irão decorrer, o CNP propôs um veterano dos festivais e uma personalidade portuguesa, respectivamente a jornalista Anabela Fino – que participou no 10.º FMJE, em 1973 – e José Henrique Serra da Graça, membro de Movimento das Forças Armadas (MFA) que desempenhou um papel importante no desenrolar das operações militares que culminaram no 25 de Abril.
Está também em preparação um encontro entre as delegações portuguesa e brasileira, que permita a troca de experiências, o conhecimento da realidade de ambos os países e a criação e aprofundamento de laços de solidariedade.
O Comité Nacional Preparatório Português formado em Outubro do ano passado, envolveu mais de 50 associações e organizações juvenis, com as áreas de intervenção muito distintas, como associações de estudantes, de defesa da paz, desportivas e culturais, grupos de teatro, num total de dez distritos.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: