Sol esconde-se atrás da lua

O maior eclipse solar visível em território português dos últimos cem anos ocorreu na manhã de segunda-feira. A lua começou a sobrepor-se ao sol pouco depois das 8h30, mas o auge do eclipse aconteceu quase às 10h. Em Trás-os-Montes a observação do fenómeno foi privilegiada pela localização da região. Este eclipse é classificado como anular ou anelar, pois a lua não tapou o sol totalmente, restando um anel de luz à sua volta. O próximo eclipse solar visível em Portugal ocorrerá daqui a 20 anos.


Prémio Nobel da Medicina atribuído a australianos

O Prémio Nobel da Medicina foi atribuído, na segunda-feira, aos patologistas australianos Barry G. Marshall e J. Robin Warren pela sua descoberta da bactéria helicobacter pylori e do papel desta no tratamento e cura da gastrite e da úlcera péptica. Os dois cientistas descobriram que os pacientes só podiam ser curados se a bactéria fosse erradicada do estômago.
«Graças à descoberta pioneira de Marshall e Warren, a úlcera péptica já não é uma doença crónica, mas uma doença que se pode curar com um breve tratamento à base de antibióticos e de inibidores da secreção ácida», refere a citação do prémio.
O Nobel da Paz será conhecido amanhã, sexta-feira. Um dos nomes propostos é o de Inês Fontinha, presidente da Associação Ninho, organização não governamental de apoio às prostitutas, e fundadora da Federação Europeia para a Erradicação da Prostituição.


Ameaças na campanha

A campanha eleitoral para as eleições autárquicas está a ser marcada pela ameaça e contestação a candidatos. O cabeça de lista do PSD à Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, foi vaiado, insultado e alvo de tentativa de agressão no bairro social de Aldonar, com a população a atirar erva, terra e lixo ao autarca. O PSD acusa o PS de manipular a população, mas este partido recusa.
Também na Madeira se registaram ataques, com o automóvel do candidato do PS à Câmara Municipal de São Vicente a ser incendiado e destruído. As investigações policiais apontam para fogo posto. Na região autónoma verificaram-se outros atentados contra bens de apoiantes do PS, nomeadamente com a decapitação de uma vaca e a destruição de um vinhedo.


Portugal está a envelhecer

O Instituto Nacional de Estatística revelou que a população idosa é a que mais aumenta em Portugal. A esperança média de vida passou para os 75 anos para os homens e para os 81 anos para as mulheres, o que não é acompanhado pelas taxas de natalidade.
Entre 1960 e 2004, a população portuguesa com 65 anos ou mais do que duplicou em valores absolutos e o INE considera que voltará a duplicar até 2050 (32 por cento da população). Ou seja, daqui a 45 anos três milhões de portugueses terão mais de 65 anos e 950 mil terão mais de 80 anos (dez por cento).
Na União Europeia a 25 12,5 por cento dos habitantes têm entre 65 e 79 anos e quatro por cento têm 80 ou mais anos. A maioria da população idosa é do sexo feminino, num total de 58 por cento.


Evolucionismo de Darwin em julgamento nos EUA

O tribunal de Dover, no estado norte-americano da Pensilvânia, está a julgar um caso que opõe os pais de 11 alunos do ensino secundário e o conselho escolar. Os primeiros consideram que é inconstitucional ensinar nas aulas teorias que se opõem ao darwinismo e à evolução das espécies.
Em Dezembro, o conselho escolar aprovou uma directiva que obriga os professores de Biologia a alertar os alunos para as supostas falhas da teoria de Charles Darwin e a referir outras teorias, entre elas a do designo inteligente. Esta teoria defende que a vida surge a partir de uma força inteligente não identificada. Os pais dos alunos consideram que se trata de uma visão religiosa do mundo e defendem que o seu ensino viola a Constituição dos EUA, que define a separação do Estado e da Igreja.
Os professores de Dover recusaram-se a cumprir a directiva aprovada e, em resposta, o conselho escolar leu em todas as turmas do 9.º ano um texto sustentando que o darwinismo é uma teoria não provada.


Pescadores em luta

No dia em que se realizaram as eleições autárquicas, três elementos de associações de pesca de Sesimbra foram identificados e intimados pela GNR a abandonar o local de votação da vila. Os pescadores apelaram, durante a semana, à população que fosse votar com braçadeiras pretas no escrutínio, em sinal de protesto contra as restrições à pesca impostas pelo novo Plano de Ordenamento do Parque Natural da Arrábida.
Naquele dia, a distribuição de braçadeiras foi facilitada pelo facto de todas as assembleias de voto terem sido instaladas no Pavilhão de Sesimbra, mas a GNR acabou por ser chamada a intervir na sequência de uma queixa apresentada por um autarca à Comissão Nacional de Eleições.


O furacão que não foi

A tempestade tropical «Vince» passou por Portugal na manhã de anteontem, sobretudo no Algarve, e entrou em Espanha às 10h, deslocando-se para este/nordeste a uma velocidade de 39 quilómetros por hora. No Algarve registaram-se aguaceiros e ventos fortes, em especial na zona de Vila Real de Santo António, onde foram observados 13 milímetros de precipitação e rajadas de vento de 68 quilómetros por hora.
O «Vince» foi a vigésima tempestade tropical da temporada de furacões no Atlântico. Formou-se no domingo entre os Açores e as Ilhas Canárias e dirigiu-se para a Europa e não para a América, como é habitual. As autoridades meteorológicas apresentaram-no como um possível furacão, alertando a população para os perigos, mas o «Vince» acabou por se dissipar no mar.
Com esta tempestade tropical a actual temporada transformou-se na segunda de maior actividade no Atlântico desde que há registos, iniciados em 1851.


Portugal na fase final do Mundial

A selecção portuguesa de futebol carimbou no sábado sem o brilho esperado o «passaporte» para a fase final do Mundial da Alemanha 2006, ao vencer em Aveiro o Liechtenstein por escassos 2-1, em encontro do grupo 3 europeu de apuramento.
A formação do principado, que havia sido goleada por 8-0 nas duas anteriores visitadas a solo luso, chegou mesmo, com algum espanto, ao intervalo a vencer, graças a um golo de Benjamim Fischer (33 minutos), resultado que não servia a Portugal, necessitado de um ponto.
Na segunda parte, o açoriano Pauleta, que teve ocasiões suficiente para ultrapassar os 41 golos de Eusébio, apontou o seu 40.º e empatou, aos 49 minutos, tendo o tento da vitória pertencido a Nuno Gomes, que entrou aos 84 e marcou aos 86, em dia de «bodas de ouro».
Acabou assim por ser uma noite de mais sofrimento do que festa, por mérito do Liechtenstein, incontestavelmente mais forte do que há alguns anos, mas também por demérito da equipa lusa, que foi muito perdulária e cometeu várias e pouco habituais falhas defensivas.


Resumo da Semana