Transportes paralisam Marselha
Os trabalhadores da Régie de Transportes de Marselha (RTM), no sul de França, cumpriram na terça-feira, dia 18, o seu 15.º dia de greve consecutivo contra a concessão da exploração da rede de eléctricos a uma entidade privada. O tráfego de autocarros esteve limitado a três por cento, enquanto a maioria das composições de metro não circulou.
Os sindicatos receiam o processo de «delegação de serviço público» da entidade municipal abra as portas à privatização. A RTM lançou, na quinta-feira, dia 13, o caderno de encargos do concurso para a constituição de «um agrupamento temporário de empresas» com a sociedade privada Conex, para o período de 2007-2015.
Os trabalhadores em luta reclamam a anulação do processo e exigem que a entidade municipal assegure a exploração da rede de eléctricos.
Procurando desmobilizar o movimento grevista, o município e a Comunidade Urbana de Marselha reuniram-se na sexta-feira, dia 14, para estudar um serviço alternativo de transportes que poderá entrar em funcionamento ainda durante esta semana.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: