OE para mais desigualdades
A CGTP-IN considera que a proposta de Orçamento de Estado para 2006, divulgada segunda-feira pelo Governo, vai consolidar a «instituição da crise», fragilizar a coesão social e aumentar as desigualdades em Portugal.
Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da Inter afirmou, num a primeira abordagem, que o Orçamento continua a ser de estagnação porque aposta no aumento das exportações, mas baseia-se na redução dos custos unitários do trabalho.
«Assim não é possível Portugal tornar-se num país desenvolvido», criticou Carvalho da Silva, prevendo que o desemprego ultrapasse as previsões do Governo de 7,7 por cento, ao mesmo tempo que «não há perspectivas de aumento do emprego, nem em termos quantitativos nem qualitativos». A CGTP-IN prevê que o custo de vida continue a agravar-se, nomeadamente com aumentos de preços na energia, e alerta ainda que o OE vai contribuir para aumentar a insegurança entre os trabalhadores.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: