Super-fortunas aumentam na Alemanha
A Alemanha conta actualmente com 91 indivíduos ou famílias que possuem fortunas superiores a mil milhões de euros. Num país que soma mais de cinco milhões de desempregados, este restrito ranking dos mais ricos foi alargado, durante o presente ano, a mais sete privilegiados, segundo apurou a revista Manager.
A publicação, que elabora anualmente a lista dos 300 mais ricos, afirma que as grandes fortunas continua a aumentar aproximando-se e mesmo ultrapassando os recordes históricos atingidos na transição do milénio.
O primeiro lugar no pódio continua a ser disputado pelos irmãos Albrecth, fundadores da rede de lojas desconto Aldi. O mais rico, Karl Albrecth, viu a sua fortuna aumentar de 15,2 para 15,6 mil milhões de euros. É seguido de muito perto por Theo Albrecth, que manteve em 2005 o assinalável score de 15,1 mil milhões de euros. Juntos são detentores da terceira maior fortuna mundial, atrás de Bill Gates (40,8 mil milhões de euros) e Warren Buffet (32 mil milhões). Individualmente estão entre os dez mais ricos do planeta.
A terceira fortuna alemã está mas mãos de Susane Klatten, com 7,8 mil milhões de euros (mais 0,3 por cento do que no ano anterior), que controla 50,1 por cento do grupo farmacêutico Altana e 12,5 por cento da marca de automóveis BMW. Trata-se da segunda mulher mais rica da Europa, atrás da francesa Liliane Bettencourt com 14 mil milhões de euros.
Nesta lista, num destacado quinto lugar, figura Friedrich Karl Flick, filho do criminoso nazi Friedrich Flick, que explorou dezenas de milhares de trabalhadores forçados durante a segunda guerra mundial. Após a derrota do regime de Hitler, o grupo de armamento de Flick foi desmantelado, mas a fortuna permaneceu em grande parte intacta, como testemunham os 5,5 mil milhões de euros que o seu herdeiro possui na actualidade.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: