A população exige a reposição do pessoal dos serviços técnicos
Manifestação em Grândola
Dois mil contra fecho das urgências
Milhares de pessoas percorreram as ruas de Grândola no sábado em protesto contra o possível encerramento do serviço de internamento e do serviço de urgências do centro de saúde.
Mais de duas mil pessoas manifestaram-se na tarde de sábado contra o encerramento do serviço de urgências do centro de saúde de Grândola durante a noite, bem como do seu serviço de internamento. Os manifestantes – respondendo ao apelo da Comissão de Utentes – percorreram em silêncio as ruas entre o centro de saúde e a Câmara Municipal, empunhando apenas uma faixa onde se lia «Grandolenses merecem mais e melhor saúde».
«Tivemos aqui, certamente, mais do que as 700 pessoas de que estávamos à espera. A avenida principal da vila ficou completamente cheia de gente», comentou à Agência Lusa Annick Paixão, porta-voz da comissão. «Esta foi a maneira que encontrámos para mostrar a nossa tristeza perante a situação da saúde a nível do concelho e do País», acrescentou.
Apesar das expectativas, os manifestantes não foram recebidos por nenhum vereador na Câmara Municipal. Na ocasião, aprovaram um documento exigindo «que o efectivo do pessoal dos serviços técnicos, sobretudo dos enfermeiros, seja reposto na sua real necessidade operacional e que, por razões práticas, funcionais e económicas, o centro de saúde, reanime o serviço de raio x e ao mesmo tempo faça instalar os meios complementares de diagnóstico, necessários para responder às verdadeiras necessidades dos nossos utentes, evitando despesas de transporte desnecessárias».
A Comissão de Utentes está a fazer circular um abaixo-assinado em todo o concelho contra a aplicação das medidas, a ser entregue ao ministro da Saúde, Correia de Campos. «Estamos ainda a recolher assinaturas e as expectativas são boas, porque, só no meu caso, já recolhi 500», afirmou Annick Paixão.

Aberto 24 horas

O encerramento nocturno das urgências e o fecho do internamento estão previstos para 2006. Segundo a Comissão de Utentes, existem duas hipóteses: o encerramento entre as 20h e as 08h e entre as 24h e as 08h. «Recusamos ambas», confirmou Annick Paixão, acrescentando que o hospital mais próximo da sede de concelho está situado a cerca de 25 quilómetros, em Santiago do Cacém.
O internamento actualmente dispõe de sete camas, mas destas só três estão disponíveis por ordens superiores. Em 2001, havia 14 camas. Como sublinham os utentes, este serviço é fundamental para os doentes asmáticos e diabéticos do concelho, que frequentemente precisam de passar a noite internados para recuperação.
O centro de Saúde de Grândola funciona 24 horas por dia. De acordo com os serviços do centro de saúde de Grândola, a unidade contava, a 31 de Outubro, com 15290 inscritos, dos quais 9161 já recorreram à unidade pelo menos uma vez em 2005.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: