Faleceu José Salvado Sampaio

Faleceu, na passada semana, o professor José Salvado Sampaio. De uma vida relevante como professor, técnico superior do Ministério da Educação, cientista de Educação, sindicalista e colaborador em órgãos de comunicação social, José Salvado Sampaio, pode dizer-se, é um dos obreiros do sistema educativo tal como veio a ser consagrado em 1986, participando activamente com o Grupo Parlamentar do MDP/CDE na construção da Lei de Bases do Sistema Educativo.
Salvado Sampaio esteve sempre nos grandes debates em defesa de uma Escola Pública, Democrática, Laica e Inclusiva, quer como membro do Conselho Nacional da FENPROF e do Conselho Nacional da CGTP-IN, quer como membro do Conselho Nacional de Educação.
A sua actividade integrando a direcção sindical da FENPROF só foi interrompida quando o seu estado de saúde já não lhe permitiu ser candidato ao seu Conselho Nacional, no seu 8.º Congresso realizado em 2003.
Em nota dirigida à comunicação social, a CGTP, manifestando publicamente o seu sentido pesar pelo falecimento de José Salvado Sampaio, sublinhou que este era um «cidadão de corpo inteiro», tendo desenvolvido, ao longo de toda a sua vida, «uma intensa e brilhante acção cívica e política que constitui uma referência para todos os que lutam por uma sociedade mais livre, justa e democrática».


Transporte colectivo de crianças

No início da semana, na Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, foi aprovado na especialidade, por unanimidade, o projecto que cria regras de segurança no transporte colectivo de crianças. Este projecto será finalmente aprovado, em votação final global, no plenário da Assembleia da República, hoje, quinta-feira.
Em nota de imprensa, «Os Verdes» manifestaram-se «profundamente satisfeitos» com a conclusão deste processo legislativo, apresentado, pelos ecologistas, ao Parlamento à duas legislaturas atrás.
«“Os Verdes” saúdam a unanimidade a que se chegou entre todos os grupos parlamentares e saúdam que a elaboração do texto final tenha contado com os contributos das inúmeras entidades e associações que foram ouvidas», lê-se no documento, distribuído aos jornalistas.
Este diploma vem colmatar uma lacuna no quadro legislativo português sobre as regras de segurança no transporte colectivo de crianças e vem inclusivamente corrigir «disparates» legislativos que estavam consagrados na legislação dispersa e muito insuficiente que actualmente existe sobre o transporte escolar.


Contra vigilância de baixa médica

O presidente da Associação Sindical de Profissionais da Polícia afirmou, na passada semana, que a «hierarquia (da PSP) não se pode sobrepor a decisões médicas» e que se forem confirmadas violações deste princípio a associação poderá agir judicialmente.
Paulo Rodrigues reagia desta forma à notícia publicada pelo jornal 24 Horas, segundo a qual um elemento da PSP, de baixa há cerca de seis meses, é obrigado a permanecer na sua residência três dias por semana para ser fiscalizado por colegas, apesar de a indicação médica dizer «expressamente que ele não deve ficar retido em casa».


Franceses contra precariedade

Cerca de 150 mil pessoas manifestaram-se na terça-feira, dia 7, em Paris e em várias outras cidades de França, exigindo a retirada do projecto de lei que estabelece o «contrato de primeiro emprego» (CPE).
Os promotores deste protesto nacional, onde se incluíram as principais centrais sindicais e os partidos da esquerda parlamentar, denunciaram as condições de extrema precariedade que o governo de direita pretende impor aos jovens, sob o pretexto do incentivo à criação de empregos.
Nos vários desfiles, encabeçados por massas de jovens trabalhadores e de estudantes, vários dísticos rebatizaram o novo contrato (CPE) designando-o como «Contrato de Primeira Exclusão», «Contrato Podre de Emprego» ou «Contrato Precário de Exploração».


Kajsa Bergvist recordista mundial

A sueca Kajsa Bergvist estabeleceu, no sábado, em Arnstadt (Alemanha), um novo recorde do mundo do Salto em Altura em pista coberta, com 2,08 metros, melhorando em um centímetro a marca com 14 anos da alemã Heike Henkel.
Já duas vezes campeã do mundo em pista coberta, Kajsa Bergvist, 28 anos, assegurou a marca de 2,08 metros no seu segundo ensaio. Heike Henkel, campeã olímpica nos Jogos de Barcelona'92, detinha o recorde do mundo desde 8 de Fevereiro de 1992, quando então saltou 2,07 metros numa reunião de atletismo em Karslruhe, também na Alemanha.


Resumo da Semana