PCP contesta aumento no Castelo S. Jorge
Os comunistas de Lisboa contestam o aumento de três para cinco euros da entrada no Castelo de São Jorge, em Lisboa. A autarquia justificou este agravamento do preço, que deverá entrar em vigor em Outubro, com a necessidade de investimento em novos projectos e reabilitação. Foi o que disse, em declarações à Lusa, José Amaral Lopes, vereador da Cultura da autarquia lisboeta e presidente da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), responsável pela gestão do Castelo de São Jorge.
O argumento, porém, não colhe junto da Organização da Cidade de Lisboa do PCP de Lisboa, que sempre se opôs à cobrança de entrada no Castelo de São Jorge, tendo, inclusivamente, quando a medida foi adoptada,
promovido um abaixo-assinado contra a mesma que recolheu mais de 5.000 assinaturas,
Para o PCP, a intenção de aumentar o custo da entrada não está relacionada com o «problema da manutenção do Castelo» mas com a necessidade de «financiar a EGEAC».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: