Preços em Portugal são os que mais aumentam

Portugal foi o país onde os preços dos transportes mais aumentou nos últimos 12 meses, no conjunto da Zona Euro. A conclusão é do Eurostat, o gabinete europeu de estatísticas, e foi divulgada anteontem pela imprensa. A variação homóloga anual do preço nos transportes em Portugal alcançou 6,2 por cento, sendo justificada pelas empresas ao aumento do valor da gasolina e do gasóleo. A média de subida de preço na Zona Euro foi de 4,1 por cento.
O preço em Portugal das bebidas alcóolicas e do tabaco sofreu também o aumento mais elevado: 8,9 por cento. A média na Zona Euro corresponde a 2,8 por cento.


Sistema Solar com oito planetas

A 26.ª Assembleia-geral da União Astronómica Internacional (IAU) decidiu excluir Plutão da categoria de planeta, em Praga, na semana passada. Plutão – descoberto em 1930 por Clyde Tombaugh – passa a ser considerado como planeta anão, depois da aprovada a nova definição de planeta, por unanimidade, pelos cientistas presentes.
A resolução adoptada define três categorias para os planetas e os seus corpos no Sistema Solar. A primeira estabelece «um planeta como um corpo celeste que está em órbita em torno do Sol, que é suficientemente maciço para que a sua gravidade o faça assumir uma forma em equilíbrio hidrostático, ou seja, redonda, e que tenha eliminado todos os corpos nas imediações da sua órbita». A segunda categoria define como «planeta anão» um corpo celeste que está em órbita à volta do Sol, que tem massa suficiente para que a sua gravidade o faça assumir uma forma arredondada, mas que não tenha desocupado as imediações da sua órbita e que não seja um satélite. A terceira categoria abarca «todos os demais objectos que orbitam em torno do sol, considerados colectivamente como “corpos pequenos do Sistema Solar”».
De acordo com esta definição, os planetas do Sistema Solar são oito, em vez de nove: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Neptuno.


China e Rússia preparam missão a Marte

A China e a Rússia estão a preparar uma missão espacial conjunta ao planeta Marte, que aterrará numa das luas do planeta e trará amostras geológicas, anunciou o Instituto Chinês de Pesquisa em Tecnologia Espacial, na quinta-feira.
A Rússia ficará responsável pelo lançamento da nave espacial não tripulada em 2009, que levará a bordo equipamento de pesquisa chinês destinado à recolha de amostras de Marte e da lua mais próxima do planeta.
A China anunciou recentemente o lançamento no próximo ano de um satélite de exploração lunar, tendo como objectivo pôr a circular na lua um veículo não tripulado em 2010.
Em 2003, a China lançou uma nave tripulada pelo astronauta Yang Liwei, tornando-se o terceiro país do mundo a pôr um ser humano no espaço, depois da União Soviética e dos EUA.


Células estaminais sem destruição de embriões

Investigadores norte-americanos produziram duas linhagens de células estaminais embrionárias sem provocar a morte dos embriões utilizados, noticiou a revista Nature. O método não implica a destruição de embriões e «as células produzidas poderão ser utilizadas tanto para testes genéticos como para a produção de linhagens de células estaminais», explicou a equipa de investigadores, chefiada por Robert Lanza, citado pela Lusa. De acordo com especialistas, este método deita por terra os argumentos éticos dos críticos desta investigação que acusam os cientistas de destruir vidas.
Ainda não diferenciadas (especializadas), as células estaminais embrionárias são capazes de evoluir para substituir qualquer célula humana e poderão ser usadas em terapias, por exemplo como enxertos de células cardíacas depois de um enfarte.
O Vaticano criticou o novo método, considerando-o a «manipulação de um processo que, de outra forma, resultaria num embrião». Monsenhor Elio Sgreccia, presidente da Academia Pontifícia para a Vida, afirmou que o método não tem em conta que, mesmo aquela única célula removida, pode teoricamente evoluir para um ser humano totalmente desenvolvido.


Café Império reabre em Lisboa

O tradicional Café Império, na Avenida Almirante de Reis, em Lisboa, reabriu na quinta-feira, depois de uma polémica que envolveu a Igreja Universal do Reino de Deus.
A IURD, que já era proprietária do resto do edifício, adquiriu em Maio o café e encerrou-o, decisão contestada pelos 18 funcionários, por clientes e pela Câmara Municipal, receando que o espaço fosse transformado em local de culto. A IURD iniciou obras, mas, depois de a autarquia as embargar, trespassou o café a uma empresa que renovou o espaço e manteve os trabalhadores.
O edifício – onde existia o antigo cinema Império – foi projectado por Cassiano Branco em 1947 e construído em 1952. O café foi inaugurado três anos depois. Em 1996, o Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR) classificou-o como Imóvel de Interesse Público.


Resumo da Semana