Utentes reunidos em encontro nacional

O 6.º Encontro Nacional de Comissões e Associações de Utentes dos Serviços Públicos realizou-se no sábado, no Entroncamento. Os participantes aprovaram uma moção que exige que o Governo altere a proposta de Orçamento de Estado para 2007 tendo em conta os direitos dos trabalhadores e utentes dos serviços públicos. Os participantes consideram que a proposta, a ser aprovada, contempla medidas que «irão agravar ainda mais a já débil situação económica e financeira dos portugueses» e defende que o investimento público é necessário para o desenvolvimento equilibrado do País.
Na iniciativa foi também aprovada uma moção contra o aumento do custo da electricidade consumida em 2007, reivindicando que a subida dos preços não deve ultrapassar os valores previstos da inflação nem os aumentos salariais. A privatização e a liberalização do sector «tem conduzido ao aumento significativo dos lucros da EDP e dos accionistas privados à custa dos sacrifícios dos utentes», destaca o documento.


Portugueses voltam a emigrar

Portugal registou nos últimos três anos uma diminuição no número de entradas de imigrantes e um aumento das saídas de portugueses, nomeadamente para países europeus, revelou um estudo da OCDE apresentado na semana passada.
Em 2001, saíram do País 20 mil portugueses e, em 2003, emigraram 27 mil, revelou o documento. Os responsáveis pelo estudo consideram que estes números são apenas indicativos, estimando que anualmente saiam de Portugal entre 50 a 60 mil pessoas, a maioria homens residentes na zona Norte e Centro.
Em relação aos imigrantes, estima-se que actualmente vivam em Portugal cerca de 420 mil estrangeiros. A partir de 2003, registou uma diminuição de imigrantes.


BES investigado em Espanha

Centenas de agentes da Guarda Civil e da Agência Tributária espanholas desencadearam um conjunto de buscas em Madrid e Barcelona, na quinta-feira, nas sedes do Banco Espírito Santo (BES), na sede do BNP Paribas, na seguradora Cahispa e na sociedade de valores Cartera Meridional.
As buscas inserem-se numa investigação que procura averiguar a acção de uma complexa rede, usando várias entidades financeiras, paraísos fiscais e gabinetes de advogados para «branqueamento de capitais, evasão fiscal e outros crimes fiscais».
De acordo com dados fornecidos pelo BES, foram bloqueadas por ordem judicial contas de clientes nos seus balcões de Madrid e Barcelona com cerca de 5,5 milhões de euros de saldo.


Mau tempo provoca inundações e estragos

As chuvas intensas que se têm verificado em Portugal provocaram numeras inundações e estragos em diversas zonas do País. A circulação da linha ferroviária do Sul foi restabelecida na manhã de anteontem, 24 horas depois da sua interrupção. Também foi cortada a circulação ferroviária na linha da Beira Alta e na Linha do Norte, entre Fátima e Caxarias. No concelho de Silves mais de 30 habitações e várias estradas ficaram inundadas no domingo, registando-se ainda inundações em Ermidas do Sado e Alcácer do Sal, ambas no distrito de Setúbal, na cidade de Santarém e nos concelhos de Tomar, Alcanena e Ourém, em Vila Real de Santo António, Avis, Castelo Branco, Fundão e Ferreira do Alentejo, entre outras. Diversas estradas estiveram interditas ao trânsito.
O Instituto de Meteorologia anunciou que o passado mês de Outubro foi o segundo mais chuvoso desde 1990 e o quarto desde 1931.


Obras sobre Álvaro Cunhal apresentadas no Porto

As obras Álvaro Cunhal e as Mulheres que Tomaram Partido, de João Céu e Silva, e É Tempo de Começar a Falar de Álvaro Cunhal – organizado e prefaciado por Urbano Tavares Rodrigues e que inclui depoimentos de diversas personalidades – foram apresentadas na tarde de anteontem na Cooperativa Árvore, no Porto.
O dirigente do PCP José Casanova, falando sobre o primeiro livro, afirmou que «as mulheres que tomaram partido», independentemente «das suas origens de classe, fizeram a sua clara opção de classe: ao lado dos explorados e contra os exploradores – e fizeram-no sabendo as consequências dessa opção e assumindo essas consequências frontalmente, naturalmente, com a simplicidade das coisas simples».


Trapologia em Lisboa

«Máscaras de Livre Imaginação» é o tema da última exposição de trapologia da autoria de Helena Chainho, inaugurada na sexta-feira na Biblioteca-Museu República e Resistência, em Lisboa, e que estará patente ao público até 27 de Novembro. Esta é a sua primeira exposição temática.
Natural de Santa Margarida as Serra, em Grândola, a artista recupera nos seus trabalhos as memórias da infância, projectando-as em pedaços de tecidos, cosidos à mão e emoldurados, escolhendo cuidadosamente as texturas, as cores e os tamanhos que melhor expressam momentos, sensações e ideias específicos.


Resumo da Semana