URBCOM, Portugal adiado

A Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) denunciou, na passada semana, que o Fundo Comunitário para a Modernização e Revitalização do Comércio no Espaço Urbano (URBCOM) tem vindo a revelar «inúmeras e estranhas dificuldades».
Segundo a confederação, em nota à comunicação social, o URBCOM previa que o fundo fosse preenchido por um triângulo constituído pelo comércio, autarquias e associações comerciais, que tinham a responsabilidade de executar processualmente todo o projecto.
«Ficou estatuído que o URBCOM patrocinaria até 60 por cento todas as candidaturas que viessem a ser aprovadas e que o restante seria suportado pelos empresários do sector. Paralelamente as câmaras municipais investiriam no espaço público, por forma a tornar os centros urbanos mais atractivos e funcionais», revela o documento.
No entanto, aconteceu precisamente o inverso. «A lei que liberalizou as grandes superfícies avançou, o que fez com que a própria morfologia das atitudes dos consumidores se alterassem», afirma a CPPME, denunciando que as próprias «regras e margens de financiamento do URBCOM vieram a sofrer muitas alterações, sendo que o mais grave é que a percentagem máxima do fundo passou dos iniciais 60 para 45 por cento».
Perante este cenário muitas candidaturas foram ficando pelo caminho. Neste sentido, a CPPME propõem «que o prazo já expirado das candidaturas possa ser prolongado ou reaberto», «que as revitalizações projectadas pelas autarquias possam avançar independentemente dos investimentos dos empresários», «alterar a margem de financiamento da URBCOM» e «que os apoios aos investimentos das associações não sejam afectados pela participação empresarial».


Reformados em luta

Com o lema «Os Reformados e Aposentados do SCAE, organizados no seu Partido, lutam por um Portugal justo e solidário», realizou-se, no passado dia 28, a 1.ª Assembleia de Organização da Célula dos Reformados e Aposentados do SCAE, a qual contou com a presença de Marília Vilaverde Cabral e de um número significativo de reformados do sector.
Da discussão salienta-se a enorme ofensiva que os sucessivos governos têm levado contra os reformados, nomeadamente nas questões da saúde, reformas, Segurança Social, habitação e contra um conjunto de direitos adquiridos ao longo dos anos os quais se encontram ameaçados ou foram mesmo retirados em empresas como a PT, CTT e EDP.


Distúrbios em Díli

Jovens timorenses voltaram a provocar distúrbios na capital maubere, Díli, na noite de domingo, dia que marcou o encerramento das tradicionais cerimónias promovidas pela presidência da República e o governo, este ano sob a consigna da concórdia.
Os últimos incidentes ocorreram quando as alegadas facções resolveram enfrentar-se durante o concerto em prol da paz, realizado diante do palácio da presidência.


China bate recorde

Meia década depois de ter entrado na Organização Mundial do Comércio, a China já representa quase oito por cento do total das trocas efectuadas ao nível global. A revelação foi feita pelo ministro do Comércio de Pequim, Bo Xilai, em declarações ao China Daily.
Estes números juntam-se à maior taxa de crescimento económico do mundo, factores que conjugados contribuem para colocar o gigante asiático em terceiro lugar entre os mais dinâmicos pólos comerciais do planeta. A produção e venda de aço, de telecomunicações e de serviços bancários são os sectores de maior peso neste elenco, disse ainda o responsável governamental.
Desta forma, a balança de comércio da China pode vir a apresentar um superavit anual na ordem dos 160 mil milhões de dólares, resultado que ajuda a reforçar a posição chinesa de vir a constituir-se como membro activo e interveniente na formulação das regras do comércio mundial já nas próximas conversações em torno da chamada «Ronda de Doha».


«Fidel Castro: Biografia a duas vozes»

A mais longa entrevista dada por Fidel Castro a um jornalista gerou uma extensa biografia. «Fidel Castro – Biografia a duas vozes», editado, em Portugal, pela Campo das Letras, é um extraordinário testemunho e uma análise histórica contados na primeira pessoa pelo Comandante cubano.
Esta obra, elaborada por Ignacio Ramonet é, ao mesmo tempo, uma discrição apaixonante da figura de Fidel Castro e um excelente olhar sobre o passado, o presente e o futuro da Revolução Cubana.


«Manuel da Luz Graça – Tarrafalista Setubalense»

Integrado nos setenta anos da abertura e funcionamento do Campo de Concentração do Tarrafal, o Núcleo de Setúbal da URAP apresentou, no dia 30 de Novembro, o livro «Manuel da Luz Graça – Tarrafalista Setubalense».
Este livro, de autoria de Américo Lázaro Leal, editado em homenagem ao dedicado patriota e combatente antifascista Manuel da Luz Graça, é dedicado a todos os resistentes setubalenses que ao longo dos 48 anos de regime fascista, nas condições mais adversas e de diferentes formas, deram a sua valiosa contribuição para o derrubamento da ditadura salazarista e para que possamos estar hoje em liberdade a defender as conquistas do Portugal de Abril.


Resumo da Semana