Eduardo Gageiro fotografa «Fé»

«Fé, Olhares sobre o Sagrado» é o título do último livro do fotógrafo Eduardo Gageiro e da exposição que foi inaugurada anteontem no Panteão Nacional, em Lisboa.
Prefaciado por José Mattoso, o volume apresenta 260 fotografias recolhidas não apenas em Portugal, mas também em países com as mais diversas culturas e religiões, como o Iraque, Tailândia, Japão, Israel, China, Índia, Timor e Egipto.
Este é o décimo quinto livro que Eduardo Gageiro, o fotojornalista português internacionalmente mais conhecido, lança ao longo da sua extensa carreira, debruçando-se sobre a devoção e a espiritualidade.
Eduardo Gageiro obteve mais de 310 distinções nos mais prestigiados concursos mundiais e festivais de fotografia. Em 2005 conquistou em Pequim, entre 35612 fotografias de 68 países, uma medalha de ouro, o Prémio para a Melhor Fotografia a Preto e Branco e o Prémio Especial do Júri. Fotografias suas figuram em museus como o de Seattle, Washington, nos EUA; Teixeira Lopes, em Bragança; da Agfa-Gavaert, em Antuérpia, na Bélgica; de Traun, na Jugoslávia; e de Helsínquia, na Finlândia.


Islamofobia cresce na Europa

Os muçulmanos da Europa estão a sofrer com o aumento da islamofobia, que se traduz em ataques violentos, discriminação no emprego ou dificuldades no acesso ao mercado da habitação. A situação foi denunciada num relatório do Observatório Europeu do Racismo e da Xenofobia da União Europeia, na segunda-feira.
O estudo pede às autoridades europeias que reforcem as políticas de integração e defende que é urgente crescente de enfrentar as tensões e as suspeitas religiosas, citando casos reportados de violência ou ameaças contra muçulmanos na UE desde 2004, incluindo vandalismo contra mesquitas e centros islâmicos, abusos de mulheres que usam vestes islâmicas e ataques físicos e verbais.
Os incidentes islamofóbicos aumentaram 500 por cento na Grã-Bretanha nas semanas que se seguiram aos atentados bombistas contra o sistema de transportes de Londres, em Julho de 2005. No ano anterior, um estudo da Universidade de Paris concluiu que um candidato norte-africano tinha cinco vezes menos possibilidades de conseguir uma resposta positiva nos anúncios de emprego para uma posição de vendedor
Na União Europeia existem cerca de 13 milhões de muçulmanos, ou seja, 3,5 por cento dos habitantes.


EUA defendem armas no espaço

O governo dos Estados Unidos está contra a proibição de armas no espaço, por considerar que as infra-estruturas espaciais têm de ser defendidas de ataques de outros países. Na semana passada, o sub-secretário de Estado norte-americano para o Controlo das Armas e Segurança, Robert Joseph, defendeu que «muitos países exploram e adquirem capacidade para ripostar, atacar e vencer os sistemas espaciais».
O responsável adiantou que os Estados Unidos estão a desenvolver as suas capacidades e as suas infra-estruturas no espaço, mas não referiu planos para instalar novas armas nas suas instalações espaciais.


Novas espécies descobertas no Bornéu

Mais de 50 espécies animais e vegetais foram descobertas este ano na ilha do Bórneu, anunciou anteontem o Fundo Mundial para a Natureza (WWF). As descobertas incluem 30 espécies de peixes, duas de rãs arborícolas e uma de planta de folhas grandes única.
Entre as novas espécies conta-se um dos mais pequenos vertebrados do mundo, um peixe de menos de um centímetro de comprimento que vive em pântanos de água escura muito ácida, um silurídeo (peixe-gato) com dentes que se projectam fora da boca e um abdómen muito aderente às rochas, e seis espécies de peixes arqueiros, um dos quais com cores azul e verde muito vivas.
«Quanto mais se procura, mais se encontra», comentou Stuart Chapman, coordenador internacional do WWF para o Bornéu, citado pela Lusa. Esta região – partilhado pelo Brunei, pela Indonésia e pela Malásia – é considerada um dos mais importantes centros de biodiversidade do mundo.


«Álvaro Cunhal, Ao Canto do Espelho»

O livro «Álvaro Cunhal, Ao Canto do Espelho» foi lançado recentemente e apresenta a transcrição de uma entrevista radiofónica do antigo líder do PCP a um programa da Rádio Bragança, conduzido por Maria Valentina Paiva, em 1997.
A entrevista foi feita na sequência da publicação no ano anterior de «A Arte, o Artista e a Sociedade», obra que registou uma boa recepção em Bragança, como se recorda na nota introdutória. Nesse ano, Álvaro Cunhal proferiu uma conferência no Instituto Politécnico de Bragança com o título «Dos Componentes do Valor Estético e seu Valor na Sociedade».


Resumo da Semana