Fuga para Espanha

A falta de emprego e de salários dignos, em Portugal, faz que cada vez mais trabalhadores optem por trabalhar e viver em Espanha. Segundo dados do Ministério do Trabalho espanhol divulgados pela Lusa, em Junho estavam registados na Segurança Social espanhola. Mais de 79 mil portugueses, dos quais 63856 no regime geral e 8099 como trabalhadores independentes. No regime agrário estão 5442 inscritos; nas pescas, 654; no carvão, 66; e no regime doméstico, 980. A maior parte dos trabalhadores portugueses está na Galiza, onde há registos de 12258. Na Catalunha está a segunda maior comunidade, com 11103. Segue-se Madrid, com 10715 inscritos.


Mulheres ganham menos

Um estudo da Comissão Europeia concluiu que as mulheres dos 27 países da União Europeia ganham, em média, menos 15 por cento do que os homens, embora sejam consideradas como estando mais preparadas, uma vez que 60 por cento são licenciadas. O estudo considera que a maternidade por reduzir as oportunidades de emprego e aponta como principais causas da diferença salarial, a concentração do emprego em poucos sectores de actividade e a dificuldade em progredir nas carreiras. A Comissão deixou um apelo para que os homens “ajudem” mais as mulheres nas tarefas domésticas.


Fraude de mais de um milhão

A Polícia Judiciária de Setúbal anunciou ter descoberto uma fraude de mais de um milhão de euros, alegadamente cometida por um farmacêutico contra o Estado, através de prescrições falsas para crianças e idosos que necessitavam de tratamentos de cancro e hepatite. No entanto, o farmacêutico em causa saiu em liberdade, depois de a juíza do 2.º Juízo do Tribunal de Santiago do Cacém ter decretado, dia 18, a medida mais baixa de coacção, o termo de identidade e residência, contra o que pretendia o Ministério Público que pediu a prisão preventiva do arguido. O Conselho Superior de Magistratura suspendeu a juíza depois de ter avaliado, com nota negativa, o seu comportamento no período entre 2005 e 2006. Após ter cumprido a suspensão de 9 meses, a magistrada regressou ao exercício da actividade.


Seixal contra o fecho dos SAP

Centenas de utentes dos Serviços de Atendimento Permanente do Seixal e de Corroios manifestaram-se em vigília, anteontem e no dia 20, diante do Centro de Saúde, contra o encerramento daqueles serviços pelo Ministério da Saúde. Com os encerramentos, os 165 mil utentes do concelho do Seixal – 50 mil dos quais sem médico de família - passam a dispor apenas do SAP da Amora, sendo que, a partir das 20 horas terão de recorrer ao Hospital Garcia de Orta, em Almada. Os utentes exigem a manutenção dos serviços e manifestaram-se dispostos a prosseguir a luta através de manifestações e cortes de estradas, até à respectiva abertura. Dos 50 SAP existentes no País, 24 encerraram até Abril passado. No Seixal, Corroios e em Sesimbra, os centros de saúde só funcionam entre as 8 e as 20 horas.


Exaltação do prazer

O escritor, poeta, ensaísta, encenador e dramaturgo Domingos Lobo é o autor da selecção, do prefácio e das notas da antologia poética portuguesa, erótica, burlesca e satírica do século XVIII, Exaltação do prazer, editado pela Vega e já nas bancas.
«Alguns poetas do século XVIII conseguiram tratar a libido com uma naturalidade tocante, mesmo quando esse exercício expositivo era levado a extremos de exuberância vocabular e parecia roçar, para as almas mais sensíveis, a abjecção e o decoro», considera o autor numa nota introdutória descritiva do seu trabalho, que acompanha a literatura portuguesa desde o Cancioneiro, passando por Gil Vicente.


Resumo da Semana