Organizações destacam luta das populações
A cultura e a luta de um povo
As reivindicações e as lutas dos trabalhadores e das populações das várias regiões do País estarão em destaque nos espaços das Organizações Regionais do PCP.
Os espaços das organizações regionais serão, uma vez mais, uma montra da situação que o País enfrenta e das lutas que nele se travam. O reforço do Partido e a cultura de cada uma das regiões também estarão em destaque nestes espaços.
No stand dos Açores vai ser possível, mais uma vez, saborear os pratos, doces e bebidas típicas da região. Mais do que gastronomia, é o retrato de uma região que vive a braços com grandes dificuldades, atirada que é cada vez mais para uma posição periférica ao nível do País e da Europa.
No plano político, a exposição do Alentejo irá abordar e debater, durante os três dias, a luta antifascista na região, a água pública, a luta dos trabalhadores e da população e o papel e a intervenção do PCP. Neste espaço estão reunidas as quatro organizações partidárias da região: Beja, Évora, Litoral Alentejano e Portalegre.
«O Algarve da Serra ao Mar» é o tema do espaço desta organização regional. O objectivo é destacar as potencialidades da região que, como o resto do País, tem futuro. A exposição política centra-se nas lutas dos trabalhadores e das populações da região contra a ofensiva do Governo. «No Algarve também se luta» é o lema.
A transformação da cortiça como realidade da região vai estar em destaque em Aveiro. Ali, a decorar o espaço, o visitante poderá ver uma máquina de fazer rolhas, manuseada, no local, por operadores. Em termos políticos, os comunistas dão conta das lutas realizadas no distrito, com especial destaque para a greve geral, assim como a acção e intervenção do PCP na região.
Braga traz, este ano, à Atalaia, a actividade realizada, neste último ano, pelos comunistas no distrito. Este espaço aborda ainda o Encontro Internacional de Partidos Comunistas e outras forças de esquerda da Europa, realizado em Guimarães. É dado ainda grande enfoque à participação na greve geral de 30 de Maio e na manifestação de 5 de Julho, em Guimarães. Os comunistas de Braga terão um espaço de denúncia relativamente às pressões e os ataques do Governo PS às liberdades e garantias dos cidadãos.
Por seu lado, Bragança, no seu pavilhão, irá abordar os problemas da interioridade e do desenvolvimento regional.
Em Coimbra o tema central será o mar e, consequentemente, a defesa das actividades produtivas a ele ligadas como a indústria naval e a pesca. Para os comunistas, estas actividades poderiam ser factores de desenvolvimento, de progresso e de criação de riqueza.
Para além do contacto com a actividade do PCP no distrito, o visitante pode ainda ver uma réplica da Torre do Relógio da Figueira da Foz.
Guarda e Castelo Branco voltam a surgir unidos na Festa, denunciando a situação que se vive no interior e destacando a actividade do Partido na região e a luta dos trabalhadores e das populações.
Em Leiria será dado particular destaque à resistência antifascista, ao 18 de Janeiro de 1934, ao reforço da Organização do PCP e a Adriano Correia de Oliveira. Será ainda possível ver um artesão a fazer peças de vidro.
O 90.º aniversário da Revolução de Outubro estará presente no espaço de Lisboa, na sua decoração e num debate a realizar no Café Concerto. Em Lisboa terão presença política destacada a greve geral, as grandes manifestações de 12 de Outubro de 2006 e 12 de Março, e a lutas das populações em defesa dos serviços públicos. A VI Assembleia de Organização Regional de Lisboa, realizada em Novembro de 2006, estará também presente na imagem e na mensagem política.
A Madeira realça que pela luta dos trabalhadores e das populações, com o PCP sempre presente, foi possível a conquista de importantes direitos para os madeirenses e foram dados passos no sentido da melhoria das suas condições de vida. Tudo isto e muito mais estará patente na exposição «PCP ontem, hoje e sempre pela Madeira».
No Porto o grande destaque vai para a VIII Assembleia de Organização Regional, que irá acontecer no dia 28 de Outubro, com o lema «Organizar, Intervir, Transformar. Um Partido mais forte, um distrito com futuro».
A concepção deste espaço baseia-se na afirmação do Partido junto das massas trabalhadoras, no projecto político do PCP para a região do Porto, e que se traduzirá também na apresentação de painéis alusivos aos temas em questão.
A ofensiva contra os direitos dos trabalhadores e a resistência contra a política de direita estará em destaque no espaço de Setúbal. Será ainda realçado o reforço do Partido na região e as suas propostas para a Península de Setúbal, aprovadas na 7.ª Assembleia da Organização Regional, realizada em Abril.
Santarém vai dar destaque à conquista, há 45 anos, das oito horas de trabalho pelos operários agrícolas do Alentejo e do Ribatejo, em articulação com as lutas do presente e a acção e intervenção do Partido no distrito. No palco, haverá animação permanente.
Por seu lado, Viana do Castelo vai apresentar uma exposição sobre o trabalho do PCP no Alto Minho. A inauguração do Centro de Trabalho de Viana do Castelo terá, igualmente, especial destaque. Em Vila Real será dada primazia à actividade do Partido na região.
A terminar, mas não menos importante, Viseu abordará o encerramento de serviços públicos no interior do País e as consequências negativas desta política para a população da região.
Outros textos relacionados
(a Festa do Avante! nesta edição):

• PCP repõe pendões na Covilhã
• Propaganda retirada em Viana do Castelo
• Encarapuçados destroem em Sesimbra propaganda da Festa
• 90 anos depois de Outubro a luta continua
• Adriano – Amor à causa da liberdade
• Auditório de Projecção do Pavilhão Central
• Grandes livros
• 420 no passeio de cicloturismo
• Pesca e convívio
• Vemo-nos na Festa?




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: