Setúbal
Trabalhadores em luta
A Direcção da Organização Regional de Setúbal, reunida no dia 29 de Setembro, analisou a realidade, regional e nacional, «marcada por profundas injustiças e desigualdades» resultantes das políticas neoliberais do Governo PS, e definiu um conjunto de acções contra estas políticas.
O Governo está apostado na «guerra aos trabalhadores», acusa o PCP, referindo a «flexigurança à portuguesa» que, entre outras malfeitorias, visa a degradação das relações de trabalho, a facilitação dos despedimentos sem justa causa, a liberalização dos horários, a redução dos salários e remunerações.
«Basta de injustiças, mudar de política para uma vida melhor» é, pois, o lema da acção nacional que o PCP tem em curso contra esta ofensiva e que, na região de Setúbal, tem-se traduzido por um intenso contacto com os trabalhadores, através de acções de propaganda, visitas, denúncia de situações concretas e propostas para resolver os problemas.
Saudando ainda a resposta que os trabalhadores e as populações da Península têm sabido dar a estes ataques, a DORS destaca a luta dos trabalhadores da Transtejo em defesa do direito à greve, dos jovens trabalhadores da Industrial Modem contra a precariedade, dos trabalhadores da Gestnave pela manutenção do seu posto de trabalho, bem como a luta das populações contra o encerramento dos SAP de Corroios e do Seixal.
A abertura do ano lectivo na região foi, por fim, outra das questões analisadas pela DORS, que vê com apreensão a falta ou ausência de investimento por parte do Governo PS e a enorme falta de auxiliares de acção educativa nas escolas dos vários níveis de ensino.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: