Proclamação da Conferência Nacional
Outro rumo, nova política

Intervenção de encerramento de Jerónimo de Sousa
Resposta clara e de ruptura com as políticas de direita

Intervenção de abertura de Agostinho Lopes
Um vasto trabalho de análise e proposta

Albano Nunes
Perigos e potencialidades

Jorge Cordeiro
Construir um Estado democrático

Francisco Lopes
Valorizar o trabalho e os trabalhadores

Ilda Figueiredo
Integração à medida dos mais poderosos

Jorge Pires
Desenvolver não é só crescer

Vasco Cardoso
Por um sector público forte e dinâmico

Paulo Raimundo
Lutar para construir a alternativa

José Casanova
A ideologia da exploração

João Dias Coelho
Defender as funções sociais do Estado

João Frazão
Sem agricultura não há desenvolvimento

Fernanda Mateus
Pobreza resulta de opções políticas

Conferência Nacional do PCP
sobre Questões Económicas e Sociais

«É possível resistir e vencer»
Sob o lema «Outro Rumo, Nova Política ao Serviço do Povo e do País», realizou-se, este fim-de-semana, no Seixal, a Conferência Nacional do PCP sobre Questões Económicas e Sociais. Nesta iniciativa, que contou com a participação de 1165 delegados e outros tantos convidados, os comunistas propuseram uma ruptura com as políticas de direita, com uma «construção europeia» federalista e neoliberal realizada à custa da soberania nacional, com a «obsessão» pelo défice das contas públicas, com a política de reconfiguração do Estado e de subversão do seu papel e funcionamento, com o domínio do capital monopolista e com as políticas de amputação das políticas sociais. A encerrar os trabalhos, Jerónimo de Sousa sublinhou que o actual caminho que a política de direita impõe «não é único», que «há alternativa» e que «há outras soluções capazes de resolver os problemas nacionais e garantir o desenvolvimento do País e melhores condições de vida aos portugueses». «Num mundo em que o capitalismo mostra a sua natureza exploradora e agressiva, a todos dizemos, aos trabalhadores, ao povo português, apoiem este Partido portador de projecto que dá resposta aos problemas centrais da sociedade portuguesa!», frisou o secretário-geral do PCP.