Breves
Natal desigual
A União dos Sindicatos do Porto realizou, dia 14, uma acção pública, na Praça da Liberdade, para denunciar a situação dos trabalhadores, dos pensionistas e da população mais carenciada, em contraste com a árvore de Natal, no mesmo local, patrocinada por um grupo financeiro. «Natal das desigualdades» foi o lema da acção promovida pela União dos Sindicatos de Aveiro, dia 15, na Praça Dr. Jaime Magalhães Lima, que confrontou os salários e as pensões de miséria, o custo de vida, o desemprego e a precariedade com a exploração e os lucros de bancos e empresas. Em Braga, a União dos Sindicatos daquele distrito promoveu, anteontem, um plenário público onde foram dados exemplos do aumento do custo de vida, nomeadamente através do tarifário dos transportes, e da alteração do cálculo das pensões de reforma.

Diplomatas
A greve de três dias dos funcionários das missões e consulados de Portugal nos Estados Unidos manteve a elevada adesão do primeiro dia e levou ao encerramento dos serviços consulares e à inoperacionalidade das representações diplomáticas naquele país. Foi um protesto contra a dupla tributação a que estão sujeitos, sem que o Governo tome medidas correctivas ou compensatórias reclamadas há meses, recordou, em comunicado, o Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Diplomáticas de Portugal.

Pescas
Em greve, a cem por cento, estiveram, dia 17, os inspectores das pescas da Direcção-Geral das Pescas e Aquicultura, informou a Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública. Para ontem, amanhã, e dias 26 e 28 estão agendados mais dois períodos de greve, das zero às doze horas, além da recusa ao cumprimento de horas extraordinárias, que se mantém, para exigir a correcção do D.L. n.º 276/2007, que regula a actividade das Direcções-Gerais, mas onde não consta a D.G. das Pescas e Aquicultura, como entidade inspectiva e fiscalizadora.