CPPC denúncia e protesta

Com o objectivo de assinalar o 5.º aniversário do início da guerra contra o Iraque, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), o Tribunal Mundial Iraque, o Colectivo Mumia Abu-Jamal, o Movimento Democrático de Mulheres, a Juventude Comunista Portuguesa, o Partido Ecologista «Os Verdes» e a Ecolojovem deslocaram-se, dia 15 de Março, à Embaixada dos EUA, em Lisboa, para exigir a retirada das tropas de ocupação e o fim imediato do genocídio do povo iraquiano.
Esta acção, enquanto se colocava algumas faixas num viaduto junto à embaixada, contou com um despropositado dispositivo policial, que procurou, através de vários meios de coação, impedir o livre exercício dos direito e liberdades democráticas consagradas na Constituição Portuguesa.
O CPPC manifestou, entretanto, a sua solidariedade «com todas as pessoas envolvidas neste protesto e suas respectivas organizações». «Reafirmamos o nosso compromisso de tudo fazer em prol da paz e da solidariedade entre os povos», acentuou o conselho para a paz.


Setúbal quer mais títulos

O Vitória de Setúbal garantiu, no sábado, no Algarve, a conquista da primeira Taça da Liga, frente ao Sporting. O presidente do Vitória de Setúbal, Carlos Costa, referiu, entretanto, que a equipa quer manter a tendência de conquista de títulos.
«A realidade do Vitória agora é esta: trazer taças para a cidade!», disse Carlos Costa, na recepção promovida pela Câmara de Setúbal à equipa sadina, perante mais de um milhar de simpatizantes do clube, que se concentraram na Praça do Bocage.


Fluviário de Mora

O Fluviário de Mora, que sexta-feira comemorou o seu primeiro aniversário, vai apostar este ano em conteúdos audiovisuais e na promoção externa, de forma a atrair mais visitantes. Esta infra-estrutura abriu as portas a 21 de Março de 2007 para divulgar o património biológico, sensibilizar o público para a preservação dos habitats de água doce e trabalhar em parceria com instituições científicas na reprodução e reintrodução de espécies em perigo ou extintas em Portugal, como o saramugo e o esturjão.
Actualmente, já com mais de 200 mil visitantes, tem como parceiros a Universidade de Évora, o Oceanário de Lisboa e o Instituto de Conservação da Natureza.
Para este ano, a aposta passa pela promoção internacional, sobretudo em Espanha, uma vez que «o número de visitantes estrangeiros ficou aquém das expectativas», reconheceu José Manuel Pinto, presidente da administração do Fluviário, em entrevista à Lusa.
Numa aposta na «inovação e melhoria contínua», estão também previstas para este ano obras de remodelação das instalações para acolher mais e novas espécies. «O actual habitat das lontras será transformado e passará a ser habitado por peixes de grande porte», adiantou.


Solidariedade com Cuba

A Associação de Amizade Portugal Cuba realizou, dia 15 de Março, na Moita, um almoço de «solidariedade com Cuba, contra o bloqueio e pela libertação dos cinco compatriotas encarcerados nos EUA». Esta iniciativa, onde participaram mais de uma centena de pessoas, entre elas o embaixador de Cuba em Portugal, contou com o apoio da Câmara da Moita e das juntas de freguesia de Moita, Baixa da Banheira, Alhos Vedros, Vale da Amoreira e Gaio-Rosório.
Nas várias intervenções proferidas foi sublinhado «o grande espírito de construção e resistência da Revolução Cubana» e acentuado «que existem alternativas ao sistema dominante».


Floresta está a desaparecer

A superfície florestal mundial está a desaparecer a um ritmo equivalente a 40 mil campos de futebol por dia, segundo as conclusões de um relatório da organização ecologista WWF, publicado sexta-feira, Dia Mundial da Floresta.
De acordo com o relatório da WWF, citado pelo diário espanhol El Mundo, a floresta ocupa actualmente uma superfície de 3866 milhões de hectares, cerca de metade do espaço que ocupava há oito mil anos.
Só na última década desapareceram quase 94 milhões de hectares de floresta, o equivalente a 5,6 milhões de campos de futebol por ano.
O abate ilegal de árvores e a desflorestação para cultivo agrícola são os principais responsáveis por estes números, a par dos incêndios.


«À Mulher, Companheira do Homem»

Enquadrado nas comemorações do Dia Internacional da Mulher, a Câmara de Lousada publicou, recentemente, o livro de poesias «À Mulher, Companheira da Homem», de Arnaldo Mesquita.
Resistente antifascista e militante comunista desde os tempos de estudante, Arnaldo Mesquita, que já publicou nove livros, foi preso três vezes e torturado pela PIDE, além de julgado no Tribunal Plenário do Porto depois de prolongada detenção, vindo a ser absolvido, em 1960.


Resumo da Semana