Mais Falências

No ano passado faliram duas vezes mais pequenas e médias empresas, em Portugal, do que no ano anterior, anunciou a Associação Nacional de Pequenas e Médias Empresas. Foram cerca de 50 mil, as encerradas no ano passado, tendo 18 520 aberto falência, sendo 80 por cento delas, do sector do comércio e serviços. Entre Agosto de 2007 e Fevereiro deste ano já encerraram 12 830, atirando mais 50 mil trabalhadores para o desemprego. Destes, 30 mil desempenhavam funções em micro-empresas, 15 800, em pequenas e 3 900 em médias.
Actualmente, existem 264 mil PME’s em Portugal, com uma empregabilidade média de 10,6 trabalhadores.


APD contesta mobilidade

A Associação Portuguesa de Deficientes exigiu, dia 29, que seja revisto o diploma do Governo sobre as condições de colocação no regime de mobilidade especial dos professores declarados incapazes para a docência, aprovado no passado dia 27. Segundo a APD, estes docentes são essenciais no apoio a outros professores e ao funcionamento das escolas, desempenhando funções auxiliares educativas. Por isso, a associação exige a revisão desta legislação.


BI biométrico pode ser falsificado

Num acto de protesto contra a introdução dos novos passaportes com dados biométricos, na Alemanha, um grupo de especialistas informáticos defensores da protecção de dados, o Chaos Computer Club, publicou uma cópia da impressão digital do ministro do Interior alemão, Wolfgang Schaueble, provando a possibilidade de qualquer pessoa poder fazer-se passar por outra, nos locais de identificação, tanto para requisitar um novo passaporte como para passar uma fronteira norte-americana, ou até no supermercado.


China ultrapassa Estados Unidos

A China é, desde a semana passada, o país com mais utilizadores da Internet no mundo, tendo ultrapassado os Estados Unidos da América. O anúncio foi feito, dia 27, pela analista chinesa BDA, recorrendo à comparação dos dados da China Internet Networt Information Center com os registos da Nielsen/Net Ratings, norte-americana. Com 210 milhões de utilizadores em 2007, a China já ultrapassou os 216 milhões de norte-americanos que utilizavam a rede no ano passado. O resultado baseia-se na continuação do aumento de utilizadores, tendo como referência o mesmo ritmo de crescimento registado em 2007.


Abílio Martins

Vítima de doença cardíaca, faleceu, segunda-feira, o ex-membro do Comité Central do PCP e da Direcção da Organização Regional de Lisboa, Abílio Martins. O corpo esteve em câmara ardente na capela de Alcântara, de onde rumou para a sua última morada, no cemitério da Ajuda, na terça-feira. No discurso de homenagem póstuma, e depois de transmitir as sentidas condolências do PCP à família, o membro da Comissão Política do Partido e director do Avante!, José Casanova, destacou a «muito profunda mágoa do colectivo partidário com a perda de uma vida dedicada ao Partido que Abílio Martins abraçou após a Revolução de 25 de Abril de 1974, tendo, sempre com ele, vivido «momentos inesquecíveis da nossa vida colectiva». José Casanova evocou a memória de Abílio Martins «nos tempos difíceis da contra-revolução», e o seu percurso revolucionário como membro do Comité Central, da DORL, do Comité Local de Lisboa, nos concelhos do Norte, em Vila Franca de Xira, em Loures e no sector sindical da Organização Regional de Lisboa, salientando como em todo o lado onde interveio, fez e deixou amigos.
Na memória de quem com ele privou «permanecerá - e de que maneira! - a intervenção de Abílio na defesa do seu Partido, do nosso Partido, sempre que isso foi necessário – uma intervenção feita da sua profunda consciência ideológica, política e partidária, a intervenção de quem queria, e por isso lutou, um Partido Comunista revolucionário, marxista-leninista». «Um partido que, portador do objectivo maior de construir uma sociedade liberta de todas as formas de opressão e exploração, sabe que tal sociedade só é atingível através de uma luta difícil e prolongada, e que essa luta só é possível na base de um partido com militantes firmes e determinados, unidos pelo mais belo de todos os ideais, o ideal comunista», afirmou José Casanova, salientando que «esta caminhada, que sabemos difícil, muito difícil, prosseguirá até à vitória final, conduzida por este Partido que é o nosso, dos que continuamos a luta, dos que, como Abílio, a essa luta deram parte grande das suas vidas».


Resumo da Semana