AMRS critica Governo

A Associação de Municípios da Região de Setúbal considerou, sexta-feira, que as medidas preventivas definidas pelo Governo para a zona do Campo de Tiro de Alcochete são «desnecessárias e desproporcionadas».
Numa conferência de imprensa onde estiveram presentes Luís Franco, presidente da Câmara de Alcochete e presidente da assembleia intermunicipal da AMRS, Maria das Dores Meira, presidente da Câmara de Setúbal, Ana Teresa Vicente, presidente da Câmara de Palmela, João Lobo, presidente da Câmara da Moita e António Capoulas, presidente da Associação de Empresários da Região de Setúbal, foi lido um comunicado com fortes críticas às medidas preventivas decididas pelo Governo.
«No que diz respeito ao diploma, este evidencia uma desnecessária e desproporcionada vontade proibitiva de toda e qualquer actividade nos territórios abrangidos, em detrimento de uma orientação preventiva e desejável e de uma postura respeitadora das atribuições e competências das autarquias, na prossecução do interesse público e da salvaguarda dos direitos e interesses das populações», refere o documento, lido por Luís Franco.
O comunicado salienta ainda que a não auscultação em tempo útil das autarquias é «uma grave violação da autonomia do poder local». «Exigimos que o Governo respeite a autonomia do poder local democrático e que garanta a participação das populações e dos municípios em todos os processos de decisão», explica o documento.


Contra as SCUT

Representantes das comissões de utentes das SCUT do Norte Litoral, Grande Porto e Costa de Prata entregaram, quinta-feira, na Presidência do Concelho de Ministros, um abaixo-assinado com mais de 60 mil assinaturas contra a introdução de portagens naquelas regiões.
«Este é o nosso primeiro passo na luta que as comissões de utentes de Aveiro, Esposende, Grande Porto, Vale do Sousa, Viana do Castelo, Póvoa de Varzim e Vila do Conde estão a desenvolver no sentido de que o propósito do Governo de portajar essas SCUT (vias sem custos para os utilizadores) não seja concretizado», explicou, à Lusa, Valdemar Madureira, lembrando que «dia 24 irá haver uma marcha com veículos de transporte pesados, ligeiros e motas que a partir de vários pontos abrangidos por estas SCUT vão confluir para a zona nobre do Porto, na Avenida dos Aliados».
De acordo com o representante das comissões de utentes, esta a introdução de portagens nas SCUT é uma medida que, a ser aplicada, irá prejudicar grandemente «mais de um milhão de pessoas» que já sofrem actualmente «graves» problemas sociais e económicos.


PCP lamenta encerramento de piscina

Os vereadores do PCP na Câmara de Lisboa condenaram, na passada semana, o encerramento da piscina Baptista Pereira, que serve os bairros do Cabrita e do Loureiro, criados para realojar a população do antigo Casal Ventoso.
«Esta piscina desempenha um papel fundamental como equipamento desportivo e de lazer para as crianças destes bairros, e são muitas porque a taxa de natalidade é elevada nesta zona, e também para os idosos que praticavam hidroginástica», disse, aos jornalistas, a vereadora Rita Magrinho.


Fernando Pessoa eleito personalidade europeia

O poeta português Fernando Pessoa foi eleito uma das 50 personalidades que mais influência teve na cultura europeia, revelou, no domingo, o Bureau Internacional.
Entre os eleitos, que se destacaram nas áreas das humanidades, artes e ciências encontra-se, para além Fernando Pessoa, Leonardo da Vinci, Shakespeare, Mozart, Einstein, Sócrates, Goethe, Galileu Galilei, Carlemany, Erasme de Roterdão e Dostoievski.


Homenagem a Adriano

Por proposta da CDU, a Câmara Municipal de Gaia aprovou, por unanimidade, a construção de um monumento à memória de Adriano Correia de Oliveira. Recentemente inaugurado, o memorial, que se situa à entrada do Parque Biológico, em Avintes, integra um painel de azulejos, da autoria do pintor António Carmo.
No acto de homenagem a Adriano, que contou com a presença de mais de uma centena de pessoas, falaram o presidente da Junta de Freguesia de Avintes, o vereador Mário Dorminski, em representação do presidente da Câmara, a vereadora Ilda Figueiredo, e, a encerrar, a filha de Adriano Correia de Oliveira, Isabel, que, em emocionadas palavras, sublinhou que a melhor homenagem que se poderia prestar ao seu pai, activo militante comunista, «é perseguir a luta pelos seus ideais de liberdade e de justiça social».


«Textos Alentejanos»

«Duas palavras sobem-me logo na memória quando penso em João Honrado: revolucionário e alentejano. Não se pode compreender o homem, a sua vida e o seu combate sem tomar consciência de que nesse filho de Ferreira o alentejano e o revolucionário se fundem tempestuosamente, mas com harmonia», lê-se no prefácio, de autoria de Miguel Urbano Rodrigues, do livro «Textos Alentejanos», de João Honrado.
Editado, este ano, pela Cooperativa Cultural Alentejana, o livro tem na capa um desenho de Rogério Ribeiro. «Os seus textos são assim quase todos perfis de homens de homens e mulheres que simbolizam a saga de uma terra de gente insubmissa, permanentemente disponível para lutar contra a injustiça social e a repressão que garantia o poder de classe dominante, representada pelos senhores do latifúndio», continua o também escritor.
Nas suas páginas João Honrado fala, entre outros, de Álvaro Cunhal, Vasco Gonçalves Chico Miguel, Pires Jorge e Sérgio Vilarigues.


Resumo da Semana