Federação do Táxi apresenta reivindicações

No final de uma reunião nacional realizada em Lisboa, a Federação Portuguesa do Táxi (FPT) deu a conhecer um caderno reivindicativo com o objectivo de amortizar a crise no sector, agravada pelo aumento dos combustíveis, os quais, de acordo com as contas apuradas pela associação, já aumentaram 25 por cento desde o final de 2007.
Entre as propostas divulgadas pela FPT, citadas pela Lusa, estão a introdução imediata do gasóleo profissional, a dedução total e automática do IVA na compra de táxis e a majoração em 150 por cento do IRC com efeitos já este ano.
Acrescem como reivindicações urgentes o congelamento dos impostos sobre os produtos petrolíferos nos próximos três anos; a abolição das taxas pagas anualmente ao Instituto Português da Qualidade; a abertura de uma linha de crédito bonificada, pelo prazo de seis anos, destinada exclusivamente à aquisição de táxis movidos a energias alternativas e a criação de um subsídio a fundo perdido, no valor de quatro mil euros, para aquisição de viaturas movidas a energias alternativas; o reembolso do imposto automóvel sempre que novos táxis sejam adaptados a gás natural e GPL, e a revisão do prazo para reembolso do pagamento especial por conta, que actualmente é de três anos.


Voz do Operário recorda Hermínia Silva...

No âmbito das iniciativas de comemoração do seu 125.º aniversário, a Voz do Operário promoveu, sábado, pelas 21h30, um espectáculo evocativo do centenário do nascimento de Hermínia Silva.
No programa de homenagem à fadista, considerada um vulto maior no panorama cultural nacional, incluiram-se interpretações dos seus maiores êxitos pela voz de Maria Mendes, a projecção de imagens de Hermínia em espectáculos ao vivo, e os testemunhos de alguns dos amigos e colegas que a acompanharam no teatro, cinema e televisão.


...e festeja crianças

Igualmente integrada nas celebrações dos 125 anos da fundação da Voz do Operário, realizou-se, sábado à tarde, no Fórum Lisboa, a Festa Infantil da colectividade, a qual contou com a participação de José Barata-Moura, Carlos Alberto Vidal e Samuel.
Do espectáculo fizeram ainda parte a apresentação de «Crianças em Construção», integralmente preenchido por actuações de alunos da instituição, e a Marcha Infantil da Voz do Operário, que este ano reuniu mais de 70 crianças.


Desemprego supera 20 mil no Tâmega

Oito concelhos da região do Tâmega registam uma número de desempregados que supera os 20 mil efectivos, sendo os concelhos de Amarante, Baião e Marco de Canaveses os que mais altas taxas de desemprego jovem apresentam.
O estudo elaborado pela Rede Europeia Anti-Pobreza, divulgado pela Lusa, indica ainda que uma larga maioria dos desempregados da região considerada, cerca de 70 por cento dos inscritos nos centros de emprego locais, são mulheres.
O documento afirma ainda que o nível de rendimento é menor que a média nacional, factor que condiciona de forma determinante as condições de vida dos trabalhadores daquela região, conduzindo a um aumento das situações de pobreza e ao surgimento de novos pobres nos concelhos da faixa entre o Tâmega e a cidade do Porto.


ASPP/PSP contesta Regime de Carreiras

A propósito da alteração dos Regimes de Vínculos, Remunerações e Carreiras da Função Pública, a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia – ASPP/PSP reuniu, a semana passada, com a Provedoria de Justiça e a Comissão Parlamentar de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública.
Em nota enviada às redacções, a ASPP/PSP revelou que da parte da Provedoria, o processo de averiguação da constitucionalidade do diploma continua em apreciação, enquanto que a Comissão Parlamentar decidiu questionar os ministérios da Administração Interna e das Finanças sobre os motivos que levaram o Governo a decidir por um novo enquadramento dos profissionais daquela força de segurança.
Em causa está, segundo a Associação, a tentativa do executivo do Partido Socialista em equiparar os profissionais da polícia aos restantes trabalhadores da função pública, revendo os direitos conquistados sem as adequadas contrapartidas, por exemplo, em matéria de liberdades e direitos, ou de progressão na carreira.
No comunicado, a ASPP/PSP reafirma ainda a disposição de combater «firmemente e com todos os meios ao seu alcance» a política do Governo para o sector.


Resumo da Semana