O Partido e a luta no Pavilhão Central
<font color=0094E0>O coração da Festa </font>
O Pavilhão Central é uma presença marcante em todas as edições da Festa do Avante!. Pela sua grandiosidade e imponência, pelo conteúdo das suas exposições ou por ali se realizarem alguns dos mais importantes debates da Festa, é sempre um local de visita obrigatória.
Este ano, este espaço será atravessado por uma estrela de cinco pontas, símbolo histórico do internacionalismo proletário, característica fundamental do movimento comunista. Um elemento arquitectónico que certamente não deixará ninguém indiferente.
Lá dentro, será possível visitar três exposições centrais. Segundo Vasco Cardoso, da Comissão Política, uma delas recebe o nome de uma das campanhas que o PCP levou recentemente a cabo - «Basta de injustiças! Mudar de política para uma vida melhor». Nesta mostra, aborda-se a situação do País como resultado da política de direita do Governo do PS. As «poderosas» acções de massas que, este ano, levaram às ruas centenas de milhares de pessoas estarão também em foco, declarou o dirigente do PCP.
Nesta exposição, destaca-se ainda o relevo dado à acção e intervenção do PCP. Na opinião de Vasco Cardoso, trata-se de uma marca da vida política nacional deste último ano.
Uma segunda exposição intitula-se «Por Abril, pelo Socialismo», numa clara alusão ao lema do XVIII Congresso, que se realizará no final do ano. Um dos objectivos centrais desta exposição, afirma Vasco Cardoso, é dar a conhecer e afirmar o programa do PCP «Por uma Democracia Avançada no limiar do século XXI». Este documento é, na opinião do dirigente comunista, «a resposta necessária na etapa actual em que o País se encontra». Para Vasco Cardoso, trata-se de um programa «capaz de mobilizar os trabalhadores e o povo português para a construção de uma sociedade de progresso social, mais democrática, mais justa, mais fraterna e mais solidária».
Nesta segunda mostra, é ainda feito um diagnóstico do desenvolvimento do capitalismo no País e no mundo. Em destaque estará a ofensiva contra direitos fundamentais duramente conquistados, realçou. A resistência e luta dos povos ocupará também um lugar central, assim como a afirmação de que o futuro da humanidade cabe ao socialismo.
A terceira exposição central consta de uma evocação ao pintor comunista Rogério Ribeiro. Segundo Vasco Cardoso, esta começou a ser preparada ainda em vida do autor e com a sua empenhada participação. Estarão expostas mais de 80 obras de Rogério Ribeiro e serão destacadas várias facetas da sua vida e obra: enquanto artista plástico, militante comunista e construtor da Festa do Avante!.

Espaço ao debate político

O debate político continua a ser uma marca indelével da Festa do Avante! e do Pavilhão Central. Grande parte dos mais de 40 debates que decorrerão na Festa serão neste espaço, em três locais – o Fórum, o Auditório e o espaço À Conversa com... Em destaque estarão temas como as alterações ao Código de Trabalho, a preparação do XVIII Congresso do Partido, os 160 anos do Manifesto do Partido Comunista, de Karl Marx e Friedrich Engels ou a actual crise económica, revelou Vasco Cardoso. O programa final e os oradores só serão divulgados mais próximo da Festa.
No espaço da imprensa do Partido, para além da divulgação do Avante! e d'O Militante estarão patentes duas exposições de menor dimensão mas nem por isso de importância inferior. Ou não fossem os temas a actualidade do Manifesto do Partido Comunista, 160 anos depois de ter sido escrito, ou, no seu 50.º aniversário, as «eleições» presidenciais portuguesas de 1958.
O prelo, no qual se imprimia clandestinamente o Avante! durante os anos da ditadura fascista, será novamente um local a despertar a curiosidade dos visitantes. Mais ainda será sendo possível trocar umas palavras com militantes que, na clandestinidade, foram tipógrafos da imprensa do Partido.

Estreia do auditório de projecção
Cinema e luta de classes

O Segredo, do cineasta português Edgar Feldman, será apresentado em ante-estreia no Auditório de Projecção do Pavilhão Central, este ano subordinado ao lema «Cinema e Luta de Classes». Esta obra retrata a audaciosa fuga do militante comunista António Dias Lourenço da fortaleza de Peniche, em 1954, e será projectada nesse local na tarde de domingo, antes do comício.
Neste ciclo, serão emitidos filmes emblemáticos que retrataram magistralmente as contradições e os conflitos sociais. Entre eles, destacam-se obras magistrais como Tempos Modernos, de Charlie Chaplin, Spartacus, de Stanley Kubrik, 1900, de Bernardo Bertolucci, ou As Vinhas da Ira, de John Ford. Para além dos clássicos épicos, há ainda lugar para o novo cinema brasileiro, representado por Glauber Rocha, para o novo cinema social francês, com Jean Renoir, ou para o cinema de animação.

Da Atalaia para o mundo, em directo

Mais uma vez, a rádio Comunic transfere os seus estúdios para o coração da Quinta da Atalaia. É a partir desse local que transmitirá para todo o mundo, através da Internet, reportagens e entrevistas em directo com protagonistas e visitantes de mais esta edição da Festa do Avante!.

Levar um pouco da Festa para casa

Na Loja da Festa, é possível adquirir recordações da Festa e vários materiais editados pelo PCP. Tão variados como serigrafias de pinturas de Álvaro Cunhal ou Rogério Ribeiro, CD com o Avante, Camarada, A Internacional ou a Carvalhesa, DVD variados, camisolas ou emblemas.
As novidades este ano vão para os materiais relacionados com o XVIII Congresso do PCP, os 160 anos da publicação do Manifesto do Partido Comunista e o 50.º aniversário da Revolução cubana.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: