JCP defende passe estudante

A JCP acusou, no início da semana, o Governo PS de «demagogia» relativamente à implementação do novo passe «4_18@escola.tp»
«A constante ameaça do fim do passe social e, no entretanto, do aumento do preço do mesmo, o aumento generalizado do preço dos transportes públicos colectivos e do passe intermodal, são alguns dos problemas que afectam as populações e em particular os jovens. A criação deste novo passe (só para estudantes dos 4 aos 18 anos, excluindo todos os jovens que, ainda que dentro desta faixa etária, estejam no Ensino Superior ou não estudem) não pode servir como desculpa para, demagogicamente, prosseguir com o fim do passe social e com a menorização da área dos transportes por parte do Governo», acusa, em nota de imprensa, o Secretariado da Direcção Central do Ensino da JCP.
Em contrapartida, os jovens comunistas defendem a criação de um «verdadeiro» passe estudante, que abranja «todos os estudantes, sejam eles do ensino básico, secundário, superior ou profissional» e o «reforço do passe social e intermodal».


Comemorar a paz

Domingo comemorou-se o Dia Internacional da Paz. Aproveitando a ocasião, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) exortou, em nota de imprensa, o Governo português a adoptar uma política que respeite o direito internacional e os direitos humanos, de acordo com a Constituição da República Portuguesa.
«Que este dia seja uma oportunidade para todos relembrarmos as lições do passado, e retomarmos o caminho, que não deve ser abandonado, para alcançarmos um mundo melhor, de progresso e de paz para todos os povos», acentua o CPPC que, no sábado, realizou um jantar, na Casa do Alentejo, que contou com a participação de Ana Mafalda Tello, do Centro Regional de Informação das Nações Unidas.
Também a CGTP-IN assinalou este dia. «Para os trabalhadores e para os povos, a paz é condição essencial para que estes possam alcançar uma vida digna e a plana assumpção dos direitos políticos, sociais e económicos», afirma a Intersindical, lembrando que em diversas regiões do globo «conflitos persistem e agravam-se».


925 milhões a passar fome

O número de pessoas que passam fome no mundo passou, em 2007, de 850 para 925 milhões. Estes números, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, ocorrem em virtude do aumento dos preços alimentares que, em 2006, subiram 12 por cento, em 2007, 24 por cento, e, nos primeiros sete meses de 2008, 50 por cento.
Por outro lado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou para o facto de em 2006 ter morrido cerca de um milhão de pessoas vítimas de paludismo. «Estima-se em 247 milhões o número de episódios de paludismo, numa população de risco [de contrair a doença] de 3,3 mil milhões de pessoas, causando cerca de um milhão de mortos, a maioria crianças com menos de cinco anos», refere a OMS, no seu relatório anual sobre o paludismo.


«8 dias nos 80 de Fidel»

O novo livro de Leandro Vale, «8 dias nos 80 de Fidel», da Papiro Editora, já se encontra à venda um pouco por todo o País. Esta obra descreve oito dias passados em Havana, aquando das comemorações dos 80 anos de Fidel Castro, e, simultaneamente, dos 50 anos do desembarque do Granma.
«Tentei fazer um relato com a necessária precisão de tudo o acontecido, inserido num contexto histórico, com a brevidade necessária para que ninguém boceje a lê-lo», descreve, no livro, o escritor, apelando: «Aproveite para o reler e depois... faça as malas e dê um saltinho a Cuba».


TMA estreia «Canções de Brecht»

O Teatro Municipal de Almada estreou, dia 18 de Setembro, o espectáculo «Canções de Brecht», a partir de poemas de Berlot Brecht (com versões portuguesas de Yvete Centeno), musicados por Kurt Weill, Hans Eisler, Kurt Schwaen, Franz Bruinier, Theodor Adorno e Bertolt Brecht.
A interpretação das canções, entre as quais se encontram temas como o «Bilbao Song» ou «Surabaya Johnny», está a cargo de Luís Madureira e Teresa Gafeira (voz) e Jeff Cohen ou Francisco Sassetti (piano). Este espectáculo estará em cena até ao dia 12 de Outubro, de quinta-feira a sábado, às 21h30, e aos domingos às 16h00.


Resumo da Semana