Não somos como o PS, o PSD ou o CDS-PP
É hora de voltar a eleger deputados da CDU
Tu contas, tu decides!
Face à política dos sucessivos governos regionais, os açorianos enfrentam hoje um elevado custo de vida, uma injusta distribuição da riqueza gerada, um aprofundamento das assimetrias internas, um declínio populacional nas ilhas de menor dimensão territorial. Esta situação poderá mudar, no domingo, com o voto na CDU, força política que defende os trabalhadores, a coesão territorial, social e económica, o sector produtivo, os serviços públicos de saúde e de educação. Jerónimo de Sousa participou, de sexta-feira a domingo, na campanha eleitoral da CDU para a Assembleia Legislativa dos Açores, tendo visitado as ilhas do Faial, Terceira e S. Miguel.
«Não somos como o PS, o PSD ou o CDS-PP, que mudam de discurso, que são capazes de dizer que deus não é deus, mas quando chegam ao poleiro, fazem exactamente o oposto daquilo que disseram», afirmou, sexta-feira, no Faial, Jerónimo de Sousa, no âmbito da campanha para as Eleições Legislativas Regionais dos Açores.
Por seu lado, Aníbal Pires, cabeça de lista da CDU pelos círculos eleitorais de São Miguel e regional de compensação, acusou Carlos César de se estar a aproximar, «em estilo, em discurso e em postura», ao presidente do Governo Regional da Madeira.
«A jardinarização da vida política regional é comprovada pela asfixia que os comissários políticos, não do PS, mas do Governo, submetem aos cidadãos, retirando-lhes espaço e livre iniciativa», acusou.
No sábado, o Secretário-geral do PCP visitou a Ilha Terceira, onde alertou para a situação laboral dos trabalhadores da Base das Lajes. «Os EUA não compreendem que nos Açores mandam os açorianos, onde há um princípio universal de legislação laboral vigente», defendeu, lembrando que o PCP tem procurado, na Assembleia da República, fazer aprovar iniciativas legislativas «para que seja respeitado o princípio fundamental do direito laboral português» nesta base aérea utilizada pelos Estados Unidos.
Voltar a ter representação no Parlamento Regional, perdida em 2004, é o grande objectivo da CDU nas eleições de 19 de Outubro.«Tendo em conta a alteração da lei eleitoral todos os votos contam», referiu Jerónimo de Sousa, acrescentando: «Os açorianos perceberam que a CDU faz falta».
Em contacto com a população da Praia da Vitória, Aníbal Pires falou dos problemas da saúde e da falta de água. «São questões que têm a ver com o profundo desequilíbrio no investimento público», criticou, prometendo, caso seja eleito, apresentar na próxima legislatura um inquérito parlamentar à gestão dos «hospitais-empresas», os hospitais EPE (Entidades Públicas Empresariais).
A comitiva CDU seguiu viagem até à Freguesia de São Mateus, onde está localizado o maior porto piscatório dos Açores. Entre cumprimentos, distribuição de propaganda e alguns ensinamentos sobre pesca, o Secretário-geral do PCP recebeu também grandes apoios. «Temos que dar a volta a isto», disse um morador vilacondense, uma Freguesia do Norte da ilha.
«Era bom ter uma voz que falasse na assembleia como fala no jornal», apelou, por outro lado, um armador local, desafiando o candidato Aníbal Pires a organizar um debate sobre pescas.
No domingo, em São Miguel, o Secretário-geral do PCP, esteve em contacto com a população de Mosteiros, na parte mais Ocidental da ilha, onde só se chega percorrendo os últimos cinco quilómetros numa estrada de terra batida.
Agradado com a recepção, Jerónimo de Sousa voltou a manifestar grande confiança de que o PCP recuperará a sua representação parlamentar regional. «Estão criadas todas as condições objectivas e subjectivas para que isso aconteça. Os açorianos verificaram que, no Parlamento Regional, a CDU fez falta», disse.

CDU assume compromisso com os açorianos
«10 medidas urgentes»

Com o objectivo de «salvaguardar o sector público e a economia produtiva regional», a CDU apresenta «dez medidas urgentes» para os Açores.

1 - Por uma política salarial, de rendimentos e fiscal justa:
O aumento intercalar da remuneração complementar e a sua extensão a todos os trabalhadores da Administração Local e Central na região;
O aumento intercalar do salário mínimo e o consequente aumento geral de salários;
O aumento intercalar do complemento de Reformas e Pensões;
A redução da taxa de IRS aos escalões em que os aumentos salariais tiverem sido mais baixos que a taxa de inflação anualmente verificada (inflação durante os anos de 2007 e 2008, Açores 3,1% - Nacional 2,6%);
O alargamento da taxa do IVA Social para muitos produtos de primeira necessidade e mesmo da sua isenção.

2 - Por uma política de juventude e de emprego com direitos:
A revisão do conceito dos programas «Estagiar», responsabilizando as empresas na admissão definitiva dos estagiários sempre que se verifique a necessidade permanente do posto de trabalho e consagrar o direito dos estagiários ao subsídio de alimentação e transporte.

3 - Pela dignidade e valorização da função docente:
A Revisão do Estatuto da Carreira Docente, nomeadamente no que concerne ao modelo de avaliação, ao ingresso na carreira, à formação contínua, à regulamentação da componente não lectiva e às condições de trabalho.

4 - Por uma eficaz fiscalização do cumprimento dos direitos do trabalho:
O reforço em meios financeiros e recursos humanos da Inspecção Regional do Trabalho.

5 - Por uma política de salvaguarda e diversificação da agricultura:
Medidas de defesa da reserva agrícola regional face à ofensiva de ocupação imobiliária e turística em curso sobre terras com aptidão à diversificação agrícola.

6 - Pela defesa do sector público de transportes – defender a unidade da Empresa Pública SATA, como empresa estratégica para a Região:
Medidas para a imediata redução de preços nos transportes aéreos de passageiros e mercadorias;
Travar os intentos do Governo Regional para a segmentação da SATA e sua futura privatização;
Travar igualmente os intentos de privatização dos aeroportos regionais pertencentes à empresa ANA-EP.

7 - Pela valorização dos pescadores e do sector da pesca:
Uma reformulação da política regional de pescas, dando de imediato prioridade às condições e aos regimes de trabalho, melhores remunerações e direitos sociais aos pescadores e rendimentos aos armadores;
Medidas que visem integrar os pescadores no regime Geral da Segurança Social;
O recurso imediato à reposição das 200 milhas Zona Económica Exclusiva.

8 - Pelo acesso de todos os açorianos, em igualdade de circunstâncias, às novas Tecnologias de Informação e Comunicação:
Ligação das ilhas ocidentais ao cabo de fibra óptica;

9 - Por uma política de saúde e prevenção:
Medidas imediatas que combatam a grave situação que constitui a lista de espera de mais de 25 mil utentes para cirurgias e consultas de especialidade, e o grave défice de médicos de medicina geral, o «médico de família»;
Medidas que aumentem a rede de cuidados continuados de saúde e um Programa Integrado de Prevenção e Tratamento das Toxicodependências, proporá ainda programas integrados e continuados de segurança nas escolas.

10 - Pela dignidade e inclusão:
A revisão do modelo de atribuição e fiscalização do Rendimento Social de Inserção, retirando-lhe o carácter assistencialista e reforçando a sua componente de medida transitória, promovendo a integração dos beneficiários no mundo trabalho, nomeadamente, através da qualificação e formação profissional.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: