Carlos do Carmo enche Atlântico

Foi um público entusiástico e rendido à voz que como poucos tem cantado Lisboa o que encheu por completo no dia 29 de Novembro o Pavilhão Atlântico para ouvir Carlos do Carmo. Fado Maestro assim se chamou o espectáculo que assinalou os 45 anos da sua carreira artística, numa noite carregada de emoções onde o fadista se viu rodeado de um público fiel e caloroso que não lhe regateou carinho e aplausos. Pelo palco passaram outros amigos, homens e mulheres do fado, como ele, uns consagrados outros em início de carreira: a promessa Carminho, a basca Maria Berasarte, Camané e Mariza.
Este espectáculo integrou-se no 125.º aniversário de «A Voz do Operário», prestigiada colectividade de Lisboa com um notável trabalho nas áreas educativa, social e cultural, actividades em benefício das quais reverteu a receita deste memorável concerto.


Metro Sul do Tejo já rola em pleno

A Câmara Municipal de Almada reclama a integração do passe social do Metro Sul do Tejo no sistema da área metropolitana de Lisboa, sem custos adicionais para os utilizadores. A exigência foi assumida publicamente pela presidente da autarquia, Maria Emília Sousa, fez ontem uma semana, dia da inauguração da última etapa da primeira fase do MST. Segundo a autarca, o sucesso do metropolitano junto da população e a sua rentabilidade económica depende da concretização desta medida, apelando por isso para que sejam «encontradas as soluções adequadas para a integração da rede do MST» no sistema tarifário da área metropolitana de Lisboa.


Bancários recusam privatização dos SAMS

Os associados do Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas rejeitaram na passada semana a proposta da direcção do sindicato para negociar uma parceria com a Hospitais Privados de Portugal para a gestão dos SAMS. Esta posição foi assumida em assembleia-geral referendária, com a maioria dos presentes a recusar terminantemente essa possibilidade depois de ter vindo a público a existência de alegadas negociações para a privatização da gestão dos Serviços de Assistência Médico-Social.
Segundo o presidente do sindicato, actualmente, o que existe é um protocolo de entendimento entre as duas entidades para encontrar uma nova forma de gestão do hospital e do centro ambulatório dos SAMS. Com o resultado do referendo de dia 26, o protocolo de entendimento com a HPP cai e «fica inviabilizada qualquer possibilidade de acordo» para a privatização da gestão dos SAMS.


Benavente contra transferência de Serviço de Urgência

O presidente da Câmara Municipal de Benavente, António José Ganhão, contesta a transferência para Coruche do Serviço de Urgência Básica prevista para o final do primeiro semestre de 2009. «Quem decidiu fazer esta mudança revela que não conhece os concelhos de Benavente nem de Coruche e não percebe nada de saúde», afirmou o autarca comunista, que não tem poupado esforços junto da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) com vista a alterar uma decisão que, em sua opinião, «colide com compromissos assumidos anteriormente pelo Governo» e prejudica as mais de 50 mil pessoas que vivem no eixo urbano Salvaterra de Magos, Benavente, Samora Correia e Porto Alto.


Ataques em Bombaim

Perto de duzentos mortos e centenas de feridos é o balanço trágico do ataque perpetrado por um grupo de homens fortemente armados em vários pontos de Bombaim. Os alvos foram três dos mais luxuosos hotéis da cidade, um restaurante muito frequentado por turistas, um cinema, um hospital e ainda uma das mais movimentadas estações ferroviárias. Abater indiscriminadamente cidadãos estrangeiros estaria nos planos deste comando alegadamente vindo do Paquistão e pertencente a um grupo islâmico desconhecido relacionado com a questão de Caxemira, segundo as autoridades indianas que só conseguiram controlar a situação ao terceiro dia depois de intensas operações de resgate de reféns e de tiroteio com os autores do ataques, um dos quais foi capturado. A tensão entre a Índia e o Paquistão subiu entretanto de tom, com trocas de acusação mútuas, intensificando-se as diligências diplomáticas.


Homenagem a Olga Prats

A pianista Olga Prats, que completou 70 anos a 4 de Novembro, foi homenageada por amigos, colegas e ex-alunos num concerto realizado no Forum Lisboa, onde foram recordados momentos marcantes do seu percurso profissional de 56 anos. A par da carreira como solista e membro de agrupamentos - um duo com Ana Bela Chaves (a partir de 1969) e o Opus Ensemble (em 1980) – a pianista tem no ensino outra das suas paixões, a que se dedica desde 1970. Começou por dar aulas de piano no Conservatório Nacional, a que se seguiram aulas de música de câmara, passando, a partir de 1983, a leccionar na Escola Superior de Música de Lisboa.
Olga Prats colaborou também com diversos compositores, com destaque para Fernando Lopes Graça e Constança Capdeville. Com Lopes Graça «foram 33 anos de convívio, era um ligação bastante especial», confessou ao falar da sua dedicação à música portuguesa em declarações à Lusa.


Resumo da Semana