Dos chips da Qimonda às loiças da Bordalo Pinheiro
Trabalhadores recusam pagar a crise do capital
Perante a avalancha de notícias de despedimentos, cortes de produção, atrasos no pagamento de salários, falências e encerramentos de empresas, aumentam de frequência e de intensidade as pressões para que os trabalhadores aceitem sujeitar-se a formas ainda mais acentuadas de exploração. Contudo, de Norte a Sul do País, milhares de homens e mulheres reagem com determinação, lutam unidos e exigem mudanças políticas e medidas concretas, para que sejam assegurados os empregos e os direitos e o futuro das empresas.

Empresas aproveitam a «crise global»
Os dramas e a «poeira»
Há inúmeros casos em que os despedimentos, as suspensões de laboração e os atrasos no pagamento de salários estão a ser usados para objectivos que nada têm a ver com problemas financeiros.

Outra vez os salários

Não culpem os trabalhadores
Gestão ruinosa na <i>SPdH</i>
A CT da Sociedade Portuguesa de Handling acusou a administração de praticar uma «gestão ruinosa, com a clara conivência do Governo», salientando que os maus resultados não se devem aos salários dos trabalhadores.

Começou revisão do ECD
Governo entra mal
O Ministério da Educação acabou por formalizar, para ontem, o início das negociações para a revisão do Estatuto da Carreira Docente, uma das principais reivindicações dos professores.

Luta na <i>Refer</i>

Mário Lino fora-da-Lei

10.º Congresso da Fesete

Vila Franca de Xira

Breves