Os candidatos da CDU são o rosto de um projecto político autárquico
CDU apresenta candidatos em Palmela
Responder aos desafios
Apostando num projecto continuado que responde aos novos desafios colocados ao território, Ana Teresa Vicente vai ser a candidata da CDU à Câmara de Palmela.
A CDU apresentou, como anunciámos na passada semana, os seus cabeças de lista aos vários órgãos autárquicos do concelho de Palmela. Ana Teresa Vicente, Vítor Borrego, voltam a ser opções para a Câmara e Assembleia Municipal de Palmela, o mesmo acontecendo em relação a Fernando Baião e José Silvério no que respeita às candidaturas para as presidências das juntas de freguesia de Palmela e Poceirão, respectivamente.
Valentim Pinto, actual presidente da Junta de Freguesia de Quinta do Anjo, foi apresentado pela primeira vez na condição de candidato ao cargo que agora ocupa. As principais alterações relacionam-se com a entrada de Álvaro Amaro (actual presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo) para a equipa da vereação e a escolha de Manuel Lagarto (actualmente presidente da Assembleia de Freguesia) para encabeçar a lista para esta freguesia.
Duarte Pedroso, constituiu outra novidade ao assumir a luta pela presidência na única Junta de Freguesia que não é liderada pela CDU no concelho de Palmela, a de Marateca.
José Charneira deixa o executivo para ser o Mandatário da CDU. «Tenho grande confiança nesta equipa», disse, acrescentando: «Foi uma experiência de grande responsabilidade e satisfação ter trabalhado estes anos enquanto eleito na Junta de Freguesia de Pinhal Novo e vereador na Câmara Municipal».

«Vamos eleger o quinto vereador»

Ana Teresa Vicente candidata-se pela terceira vez à presidência da Câmara de Palmela, tendo considerado, na iniciativa, como principais eixos estratégicos de intervenção para o próximo mandato «a educação e as infraestruturas». Será ainda dada prioridade à qualificação dos equipamentos municipais e dos espaços públicos, à construção de novos equipamentos, à melhoria das acessibilidades e ao ambiente.
«Face aos enormes desafios que estão colocados ao concelho de Palmela, entendemos que é necessário o reforço desta equipa com a eleição de mais um vereador», afirmou a candidata, referindo-se a Luís Miguel Calha.
Ana Teresa Vicente acrescentou ainda que a CDU vai fazer dos períodos pré-eleitorais das três eleições deste ano «um trabalho sério, de apresentação de propostas e ideias diferentes, para melhorar a vida das pessoas e o nosso futuro, respeitando os direitos e a dignidade de todos».
Por seu lado, Duarte Pedroso afirmou que vai para o combate eleitoral para «ganhar as eleições e dar à CDU a Freguesia de Marateca».
Esta iniciativa contou com a participação de Álvaro Saraiva, dirigente nacional do Partido Ecologista «Os Verdes» e de Margarida Botelho, membro da Comissão Política do CC e responsável pela Organização Regional de Setúbal do PCP, tendo sublinhado que «os candidatos da CDU são o rosto de um projecto político autárquico», que tem por finalidade resolver os problemas locais através do envolvimento directo das populações. A dirigente comunista destacou ainda que «os três actos eleitorais, que vão decorrer este ano, vão realizar-se num momento de profunda preocupação com os portugueses, sobretudo para os desempregados e para os muitos que vivem uma situação económica e social de grande dificuldade».

Apostar na economia

Saudando a presença de todos na apresentação dos candidatos da CDU para o concelho de Palmela, Ana Teresa Vicente dirigiu as suas primeiras palavras ao PCP. «Agradeço a confiança em mim depositada para continuar a dirigir este projecto autárquico que tem feito de Palmela uma terra cada vez mais atractiva e com uma qualidade de vida muito acima da média nacional», disse, expressando o seu orgulho «por integrar este grande colectivo partidário que, em conjunto com “Os Verdes” e a Intervenção Democrática, em Palmela, se confunde com a história do poder local democrático e que constitui uma força indispensável para construirmos uma vida melhor».
A candidata e eleita do PCP reafirmou, de igual forma, que «deste projecto autárquico fazem parte todos os que queiram trabalhar para a qualidade de vida e para um desenvolvimento local sustentável e participado».
«Somos um concelho que soube trabalhar e criar as condições para acolher e beneficiar, num futuro próximo, de grandes investimentos nacionais que não seriam possíveis se o nosso planeamento do território não fosse rigoroso e com o sentido de responsabilidade acrescido pela localização estratégica de Palmela na Área Metropolitana de Lisboa e no País», sublinhou, lembrando que aqueles investimentos «constituem novas oportunidades de desenvolvimento e emprego».
No entanto, continuou, «não podemos menosprezar o dinamismo económico que tem caracterizado o nosso concelho, com a fixação de empresas de média e grande dimensão, de sectores estratégicos, tecnologicamente avançados e a consolidação e desenvolvimento de actividades ligadas ao nosso mundo rural e aos seus produtos locais, de que são expressão mais visível o vinho e o queijo».


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: