Obra de Armando Alves reunida em livro

É mais uma inspirada e luminosa edição da «Modo de Ler, Editores e Livreiros», de que resulta um superior objecto de criação artística que dá pelo nome de Armando Alves, inventor de céus e planícies. Trata-se de um livro, bem entendido, assim designado em título que assume título homónimo de um texto de José Saramago impresso logo a abrir esta fantástica obra dedicada à pintura de Armando Alves e onde se reproduz ao longo de mais de quinhentas páginas grande parte do seu vasto e inovador trabalho desde os anos 50 até aos nossos dias.
Sob a direcção gráfica de Susana Landolt Alves, com patrocínio do Casino da Póvoa, esta cuidada e bela edição reúne ainda textos de Mário Assis Ferreira, Bernardo Pinto de Almeida, Óscar Lopes e Laura Castro.
A acompanhar este livro está ainda um outro em igual formato, reunido no mesmo coffret, chamado «Escrito na cal e outro lugares poéticos», com textos dedicados a Armando Alves assinados por figuras destacadas das artes e letras como Eugénio de Andrade, Albano Martins ou Urbano Tavares Rodrigues.


Em defesa das Linhas do Tâmega e Corgo

A decisão do Governo de encerrar as Linhas ferroviárias do Corgo e Tâmega, sem qualquer aviso prévio, suscitou fortes reacções de contestação quer da população e utentes quer do Sindicato dos Trabalhadores Ferroviários. Logo que a notícia foi conhecida, dia 25, as populações servidas pela Linha do Corgo expressaram o seu protesto temendo que a medida governamental (alegadamente provisória) antecipe o encerramento definitivo deste troço que liga Vila Real, Santa Marta de Penaguião e Peso da Régua.
Também o Grupo Permanente do Movimento de Utentes dos Serviços Públicos condenou em comunicado a actuação do Executivo de José Sócrates afirmando que a mesma é reveladora «do desprezo e desrespeito que o mesmo habitualmente tem pelas populações», nomeadamente aquelas que vivem em áreas do País onde é maior a «carência de equipamentos e infra-estruturas».
O Sindicatos dos Trabalhadores Ferroviário, em nota à imprensa da sua Comissão Executiva, perguntam por seu lado o que é que mudou «de um dia para o outro que justifique este encerramento brusco», medida da qual discordam por entenderem que é possível proceder à renovação da via nos mesmos moldes adoptados noutras vias, sem inviabilizar a circulação ferroviária.
O Sindicato afirma ainda a sua determinação em defender as Linhas do Tâmega e Corgo, para salvaguarda do «serviço social prestado às populações e dos postos de trabalho».


Dia Mundial do Teatro

«Hoje, luta-se contra a mediocrização geral da sociedade e a violência dos quadros legais que servem os interesses do Estado em nítido desprezo pelo sector cultural», afirma-se na mensagem divulgada no dia 26 de Março pela Sociedade Portuguesa de Autores, a propósito do Dia Mundial do Teatro.
Este ano assinado por Filomena Oliveira e Miguel Real, vencedores do Grande Prémio de Teatro 2008 SPA/Teatro Aberto, com a obra «Uma Família Portuguesa», o texto da SPA assinala que não sendo maior do que a de outros tempos - os «do analfabetismo cultural, da censura e da prisão política» -, a responsabilidade que recai sobre a arte teatral é «diferente».
Os autores do texto sustentam que, actualmente, «mais do que nunca, numa sociedade técnico-científica dominada pela omnipotência do dinheiro e da idolatria do poder, deve lutar-se contra o indiferentismo social, a política dos campos de futebol e dos serões televisivos contaminados pela imbecilidade».
Sobretudo neste «Dia Mundial do Teatro, em plena crise de um sistema global profundamente injusto e alienante, porventura prenúncio de uma nova era civilizacional» é que o teatro «deve assumir a sua eterna função de iluminação cultural da sociedade, criando uma realidade estética que desmascare tanto o terrorismo dos poderosos quanto o estado de ignorância dos povos», lê-se no texto.


Desemprego dispara

A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) prevê que a taxa de desemprego nos seus 30 países membros deverá aproximar-se dos 10 por cento até ao fim de 2010.
Segundo os cálculos da organização, em finais de Janeiro, este índice atingia já 6,9 por cento, ou seja, um crescimento de 7,2 milhões de trabalhadores desempregados no espaço de um ano.


Governo sitiado na Tailândia

Milhares de manifestantes cercam, desde o final da semana passada, a sede do governo tailandês, em Banguecoque, e exigem a demissão do primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva. Desde segunda-feira, as concentrações de protesto estenderam-se da capital às delegações governamentais situadas noutros pontos do país.
Apesar das autoridades ameaçarem recorrer à violência para dispersar a multidão, os manifestantes não desmobilizam do local e mantêm o objectivo de forçar o executivo a dissolver o parlamento e a convocar eleições antecipadas.
Alvo dos protestos é ainda o presidente do conselho privado do rei, acusado pelo povo de estar por trás do golpe de Estado que em 2006 depôs o então primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.


Resumo da Semana