O Dia da Vitória

O 64.º aniversário da vitória dos aliados contra os exércitos nazis em 1945 foi assinalado na Rússia, sábado dia 9, com a tradicional parada militar. Festejos populares ocorreram por todo o país e bem como nas diferentes repúblicas da antiga União Soviética.
Intervindo na sessão oficial, o presidente da Rússia, Dmítri Medvédiev, exaltou a coragem do exército e do povo, notando que «toda a potência da máquina de guerra fascista revelou-se neste período impotente, e mesmo os mais trágicos acontecimentos, o cruel bloqueio, as privações que impuseram ao nosso povo, não quebraram a sua vontade, a confiança na justeza da sua causa e no futuro da Pátria».
Medvédiev.


<i>Assalariados Agrícolas de Ervidel</i>

O livro Assalariados Agrícolas de Ervidel, trabalho e resistência sob o fascismo – notas de História Oral, do antropólogo António Lains Galamba, foi apresentado no sábado, dia 9, numa sessão em que participou José Casanova, director do Avante!, que também assina o prefácio desta obra.
Neste trabalho, segundo as palavras do próprio autor, estão reunidos relatos sobre um «Alentejo polarizado entre o latifúndio e os homens que o trabalharam. Entre os proprietários e os que viveram à conta da venda da sua força de trabalho. A história da repressão fascista nos quotidianos dos trabalhadores e da sua resistência. De um lado, um Estado fascista, sustentado pelos latifundiários que, bastas vezes, o constituíam. Do outro, assalariados rurais, no limiar da fome, sem acesso aos princípios básicos da humanidade: saúde, educação, habitação condigna. E resistentes, sempre! É desta resistência, dos episódios de que foi feita, que trata este livro. Nele não encontraremos nada mais que as palavras destes últimos. Porque ser antropólogo é também tomar partido. Neste caso, fui apenas o operário das letras que me foram contadas e reescrevi. Esta é (parte) da história destes Homens. Escrevo-a como a ouvi.»


Galiza homenageia Zeca Afonso

O cantor Zeca Afonso foi homenageado, no domingo, 10, em Santiago de Compostela, com a atribuição do seu nome a um parque urbano com mais de quatro mil metros quadrados, situado a poucos metros do local onde, a 10 de Maio de 1972, cantou pela primeira vez em público «Grândola, Vila Morena».
A iniciativa partiu de um grupo de admiradores do cantor português. Em 2006 apresentaram na Câmara de Santiago de Compostela uma proposta para a atribuição do seu nome a um espaço público da cidade. A ideia foi divulgada na Internet, tendo recebido três mil assinaturas de apoio, oriundas de todo o mundo.
Xoan Guitian, um dos promotores da homenagem, afirmou à Lusa que, nesse espectáculo, do qual possui uma gravação, «Zeca cantou umas 18 a 20 canções e, no final, o clima era de grande emoção, de muita sensibilidade. O público estava muito sensibilizado por motivos políticos que são fáceis de imaginar. O Zeca sentiu-se feliz naquele momento e, de repente, disse que ia cantar uma canção que nunca tinha cantado em público».


Memória da guerra colonial

Guerra Colonial, a Memória Maior que o Pensamento, é o título do livro de Armando Sousa Teixeira, publicado pelas Edições Avante!, cujo lançamento se realizou, no dia 18 de Abril, nas instalações da Associação 25 de Abril.
Na sessão ouviram-se testemunhos e relatos que fizeram jus à afirmação do livro «a guerra é um sítio donde nunca se volta». Intervieram o militar de Abril, Almirante Martins Guerreiro, declamou Odete Santos, cantou Francisco Naia.
A obra de Armando Teixeira foi de novo apresentada no 26 de Abril, na colectividade «Os Leças», no Barreiro, e voltará a ser tema de uma sessão no próximo dia 24 na Biblioteca Bento de Jesus Caraça, na Moita.


FC Porto assegura «tetra»

O Futebol Clube do Porto venceu no domingo o Nacional da Madeira, por 1-0, assegurando assim, à 28.º jornada, a quarta vitória consecutiva na liga principal do futebol português. Este é o segundo título de «tetra-campeão» conquistado pelo FC Porto, que, nos últimos 20 anos, ocupou 14 vezes a posição cimenira no campeonato nacional. Jesualdo Ferreira, à frente do onze portista, é o primeiro treinador português a ganhar três títulos consecutivos, nesta série em que o primeiro foi alcançado com o holandês Co Adriaanse.
Na noite de domingo, o golo decisivo foi marcado por Bruno Alves, aos 47 minutos.


Resumo da Semana