Desemprego não pára

O número de desempregados no continente que estavam inscritos no mês de Abril nos centros de emprego eleva-se a 491635, o que representa um acréscimo de mais 105 294 face ao mesmo mês de 2008.
Vila Nova de Gaia e Lisboa são os concelhos com mais desempregados inscritos em centros de emprego, de acordo com as estatísticas divulgadas pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional relativas a Abril.
O concelho nortenho lidera a lista do IEFP, com 22 906 inscritos no centro de emprego, dos quais 13 001 são mulheres e 9 905 homens.
A capital do País surge logo a seguir, com 20 771 inscritos, sendo 9 712 mulheres e 11 059 homens. Neste ranking de centros com maior número de desempregados inscritos seguem-se, por ordem decrescente, os concelhos de Sintra, Porto, Guimarães e Gondomar.
Por regiões, o Norte bate recordes com 212 767 inscritos em Abril, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (146 800), a região Centro (73 154), o Alentejo (22 481) e o Algarve, com 19758 desempregados.


Acção pela liberdade

A ex-deputada comunista Odete Santos, fundadora da Associação Fronteiras, afirmou na passada semana que a absolvição de dois militantes da JCP julgados por terem pintado um mural em Viseu onde anunciavam um congresso deve servir de exemplo, nomeadamente às autarquias.
Odete Santos falava no Rossio de Viseu, onde participou numa iniciativa denominada «Acção pela Liberdade», promovida na sequência da decisão do Tribunal da Relação de Coimbra de absolver os dois jovens comunistas anteriormente condenados pelo Tribunal de Viseu.


Sabores do Mar de Peniche

Decorre desde a passada semana e até domingo próximo o Festival Sabores do Mar de Peniche. Novidade na edição deste ano, onde se evocam os Descobrimentos, é a oportunidade dada aos visitantes de provarem a bordo da caravela Vera Cruz ementas da época confeccionadas por cozinheiros de renome.
«Trazer aos Sabores do Mar o imaginário da época dos descobrimentos é estabelecer uma ligação de afecto com Peniche e com o mar», afirmou a propósito o presidente da câmara, António José Correia.
O festival volta a incorporar várias iniciativas que testemunham essa forte ligação de Peniche ao mar, como a gastronomia e as actividades náuticas e subaquáticas, com o objectivo de «afirmar a tradição piscatória de Peniche» e atrair turistas tirando partido das suas potencialidades económicas.


Obra de Siza soma prémios

O arquitecto Álvaro Siza Vieira e o escritor António Lobo Antunes são dois dos galardoados com o Prémio Extremadura a la Creación, soube-se no passado dia 5 de Junho. Esta conceituada distinção artística e literária da região fronteiriça espanhola visa reconhecer a relevância das obras dos premiados no contexto ibero-americano e da Extremadura.
Emílio Tuñón, um dos presidentes dos júris que avaliam os nomeados, destacou o percurso de Siza Vieira, salientando que soube transmitir o seu legado às novas gerações, designadamente a utilização de materiais específicos das regiões na criação de edifícios para o futuro e que permanecerão no tempo.


Morreu Boris Pokrovski

Faleceu no passado dia cinco, aos 97 anos, o encenador russo de ópera Boris Pokrovski, que se celebrizou pelas suas produções no Bolshoi durante a União Soviética.
Nascido em 1912, tornou-se encenador do Bolshoi em 1943, onde permaneceu durante décadas. O seu nome esteve associado a uma série de óperas, nomeadamente «Eugène Onéguine», de Tchaikovsky, que se tornou um clássico do seu repertório.
Boris Pokrovski cessou funções de encenador do Bolshoi em 1982 mas continuou a apresentar espectáculos esporádicos durante os anos 1990, tendo assinado em paralelo uma série de produções na Ópera de Câmara de Moscovo.


Alice Vieira com novo livro

«O que dói às aves», é o sugestivo título do mais recente livro de Alice Vieira, que acaba de ser dado à estampa com a chancela da Editorial Caminho.
A apresentação desta obra de poesia, a segunda que ganha a forma de livro, depois de há cerca de dois anos ter publicado «Dois corpos tombando na água», decorreu no passado dia 27 de Maio, na Livraria Ler Devagar, com José Mário Silva a assumir essa tarefa, cabendo a Rosa Lobato Faria brindar os presentes com a leitura de alguns dos poemas.
A conhecida autora de «Rosa, minha irmã Rosa», com cerca de 70 títulos editados nos últimos trinta anos, é uma referência fundamental na literatura para jovens.


Em Arraiolos, o «Tapete está na rua»

O centro histórico de Arraiolos vive desde o dia 5 e até ao próximo domingo (14) uma original iniciativa que tem por protagonista principal aquela que é a sua marca identitária mais forte, ou seja a genuína tapeçaria local que por ali nasceu há pelo menos quatro séculos.
Trata-se do certame «O Tapete está na rua», mostra de tapetes que estarão expostos nas ruas e praças, pendurados em portas, janelas, varandas e edifícios da área central daquela vila alentejana.
Iniciativa da Câmara Municipal de Arraiolos, o programa, além das exposições de tapetes, inclui várias outras actividades culturais, como uma recriação histórica, espectáculos musicais, apresentações de livros e mostras de artes plásticas.


Resumo da Semana